18.4 C
São Paulo
quinta-feira, 13/06/2024

Presidente do BC é Economista?

Data:

Compartilhe:

A lei brasileira não exige que o Presidente do Banco Central seja um Economista na ativa. Mas, a rigor, pra ser Economista e exercer sua função, o profissional precisa se inscrever no Conselho de seu Estado (Corecon). Em São Paulo, na sede do Santander e onde Roberto de Oliveira Campos Neto trabalhou, ele não é e nunca foi registrado no Corecon-SP.

Quem informa é o Conselho Regional de Economia, presidido por Pedro Afonso Gomes. O dirigente diz acerca do presidente do BC: “Como iniciou carreira no Rio de Janeiro (1996-1999), poderia ter-se registrado no Corecon-RJ. Mas, a partir do ano 2000, atuando no Santander, teria que transferir seu registro para cá. Por isso, qualificá-lo como Economista é impróprio, pois tal designação é restrita aos Bacharéis em Ciências Econômicas que se registram no Conselho Regional de Economia do Estado em que atuam”.

Segue o presidente do Corecon-SP: “Consta que ele é graduado em Economia na Califórnia, mas não sabemos se revalidou o diploma no Brasil. Como sempre atuou, desde que veio para SP, em funções de comando do Santander, que não exigem registro como Economista, o Corecon-SP nunca o instou a esclarecer sua condição”.

Protestos – A dúvida acerca da condição profissional do presidente do BC veio à na mesma data, 20/6, em que sindicalismo e movimentos sociais iniciaram campanha nacional pela redução da taxa Selic, persistentemente mantida pelo presidente Campos Neto, em oposição à orientação econômica do governo Lula. Ontem, foi na Avenida Paulista, em frente ao BC. Haverá novos pelo País.

Frentista – Na Paulista, Luiz Arraes, que preside a Federação no Estado de SP, alertou para a necessidade de serem zeradas as dívidas familiares. Ele diz: “Pelo Programa Desenrola Brasil, do governo, o juro é de 1,99% a quem for quitar dívida em até 60 meses. Numa financeira privada, está perto de 14% ao mês”. Para o dirigente, o sindicalismo precisa massificar essa vantagem junto às bases, especialmente, aos os endividados.

MAISSites das Centrais e Desenrola Brasil.

Conteúdo Relacionado

Bancários querem aumento real de 5%

Avança a campanha salarial do ramo financeiro ligado à Contraf-CUT. Um ponto alto foi a 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, encerrada...

“É o meu maior prêmio”, afirma Ricardo Kotscho

Sexta, 7, no Dia da Liberdade de Imprensa, o jornalista Ricardo Kotscho recebeu o troféu Audálio Dantas, na Câmara Municipal de São Paulo. A...

Sinpro realiza encontro das Católicas

Aconteceu entre 7 e 8 de junho o Encontro Nacional de Professores e Estudantes das Universidades Católicas. Evento foi organizado pelo Sinpro Campinas, em...

Adriana Marcolino assume a direção-técnica

Fundado em 1955, o Dieese vive uma situação inédita, com duas mulheres no comando principal da entidade. Na presidência, a sindicalista Maria Aparecida Faria,...

Comerciários entregam jornal na base

Edson Carvalho, presidente do Sincomerciários de Guarulhos, esteve na loja de materiais de construção A&M, em Santa Isabel, SP. O assessor de base Adailton...