23.8 C
São Paulo
terça-feira, 18/06/2024

Trabalhadores no Asseio querem vacina

Data:

Compartilhe:

Trabalhadores no Asseio são mais de 17 mil na Capital paulista. E a imensa maioria está na linha de frente, com caminhões ou na varrição de ruas e coleta doméstica. A atividade é de risco e, por isso, a categoria reivindica vacinação.

Na terça (8), protestaram em São Paulo, nos locais de trabalho, como garagens e alojamentos, e também em frente à Prefeitura. “Fizemos um protesto sanitário. Nesta segunda vamos avaliar como retomar a pressão e o movimento”, adianta Édson André dos Santos Filho, presidente do Siemaco, o Sindicato dos Trabalhadores no Asseio, Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo.

Édson André dos Santos Filho, presidente do Siemaco, reunido com a categoria

O dirigente vê a doença avançar, principalmente da virada do ano pra cá. “Pela nossa conta, 10% da categoria já foi afetada. Hoje, em torno de 600 trabalhadores estão afastados e 70 já morreram por causa da Covid-19”, diz o sindicalista.

Pressão – Desde o início do ano, o Siemaco manda ofícios às autoridades e tenta debater a questão da vacina. Sem resposta, agora a categoria parte pra luta. André tem tido contato também com a Amlurb, agência que coordena o setor na Capital e da qual espera apoio.

A entidade também faz contatos na área política em busca de apoio à luta por vacinação aos coletores, garis, margaridas e outros trabalhadores de um setor vital à saúde pública.

MAIS – Site do Siemaco. Contatos: andre@siemaco.com.br

Conteúdo Relacionado

Metalúrgicos de Catalão conquistam avanços

Depois de muita negociação, terminou com boas notícias a Campanha Salarial 2024/2025 da John Deere, no Catalão, em Goiás. Os metalúrgicos conseguiram conquistar reajuste...

Cesta básica sobe, mostra o Dieese

Pesquisa mensal do Dieese apura que em maio o valor do conjunto de alimentos básicos aumentou em 11 das 17 Capitais. A Pesquisa Nacional...

Sindicato de Niterói firma aditivo com avanços

Mais uma vitória para uma grande parcela de frentistas no Estado do Rio de Janeiro. Desta vez, de Araruama, Cachoeira de Macacu, Guapimirim, Iguaba...

Miguel da Força defende democracia e inclusão

Na quarta (12), Miguel Torres falou em nome do sindicalismo nacional e da classe trabalhadora na Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra,...

CUT debate os impactos dos parques eólicos para a classe trabalhadora

A CUT debateu nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12) em Natal, no Rio Grande do Norte, os impactos dos parques eólicos nas comunidades locais,...