18 C
São Paulo
quinta-feira, 13/06/2024

Energia limpa no Sindicato – POR JOSINALDO BARROS

Data:

Compartilhe:

A grande preocupação dos cientistas e dos verdadeiros estadistas atuais é com o desequilíbrio ambiental. Principalmente o chamado efeito estufa.

Por isso, cresce a importância das Conferências do Clima, onde esses temas são debatidos e os líderes mundiais tentam fixar regras e metas ambientalistas.

Outro conceito que cresce, devido à necessidade real do mundo, é o da energia limpa. Ou seja, gerar energia a partir de fontes que não gerem poluição ou provoquem danos à natureza. É o caso da energia eólica (pelo vento) e da fotovoltaica (pelo sol).

Pois bem. Em nosso Sindicato, a diretoria entendeu que deve investir em energia limpa. No caso, energia solar. Para tanto, já estão sendo implantadas placas fotovoltaicas em nossa Colônia de Férias, na sede no Centro, na escola ao lado do Sindicato e também no Clube de Campo.

Esse tipo de obra gera um custo inicial, pois demanda compra de placas, instalação, engenharia e outras providências. Porém, a médio prazo, a obra se paga e começa a ser lucrativa, porque o custo da energia solar é bem mais baixo. As placas têm longa duração, exigindo também pouca manutenção.

O Brasil é um País abençoado, onde o sol brilha praticamente o ano todo. Vários pontos de nosso Litoral já estão repletos de torres eólicas, gerando energia limpa quase a custo zero. Nenhum país do mundo reúne condições tão favoráveis.

Há quase um século países brigam pelo controle das fontes de energia. A guerra entre Rússia e Ucrânia tem a ver com a produção, distribuição e controle do gás derivado do petróleo. Agora, eu quero ver quem vai guerrear pra ter o controle do sol e dos ventos?! Não tem como. Por isso, as energias limpas são também indutoras da paz.
O Sindicato tem compromissos sólidos com a natureza. Nosso Clube preserva quatro alqueires de Mata, que embeleza a região e ajuda a purificar o ar. Ali, nós tratamos a água, e, espero, em breve, que a gente possa iniciar as obras de aprofundamento da calha do córrego que corta o Clube.

No ano de 2007, realizamos o Primeiro Encontro Sindical Nacional em Defesa do Meio Ambiente. Nossa meta era levar o tema ambiental pra dentro das empresas, principalmente por meio das Cipas e das Sipats. É verdade que o empresariado não abraçou essa causa. Mas é questão de tempo, até porque a responsabilidade social da empresa está consignada na própria Constituição.

O mundo hoje trabalha pra que o desenvolvimento seja sustentável. A ciência já possui conhecimento e métodos suficientes pra promover o crescimento sem agredir a natureza, dizimar espécies, derrubar matas e provocar tragédias ambientais.

A iniciativa do Sindicato, ao adotar a energia solar, não vai resolver o problema planetário. Mas é um gesto concreto pelo uso da energia mais limpa, mais barata e renovável. É um passo certo em direção ao futuro.

Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.
Diretoria Metalúrgicos em Ação

Email – josinaldo@metalurgico.org.br
Site – www.metalurgico.org.br
Facebook: /josinaldo.cabeca.1

Clique aqui e leia mais opiniões

Josinaldo - Cabeça
Josinaldo - Cabeça
Josinaldo José de Barros (Cabeça), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região Email - josinaldo@metalurgico.org.br

Conteúdo Relacionado

O capital quer sindicatos sem dinheiro e trabalho infantil – Marcos Verlaine

Se depender dos patrões, do chamado mercado e do capital, os sindicatos no Brasil serão asfixiados financeiramente e morrerão à míngua. Isto de 1...

A privatização no Brasil – Paulo Henrique Viana

Os pontos negativos da privatização no Brasil Um dos principais argumentos contra a privatização é a questão da acessibilidade. Quando serviços públicos essenciais, como energia,...

Ação sindical em defesa dos engenheiros – Murilo Pinheiro

Campanhas salariais 2024, que abrangem mais de 100 mil profissionais, seguem a todo vapor. Mobilização e participação efetiva da categoria é essencial para reforçar...

Defendemos a criação de um programa emergencial robusto – Nilton Neco

Nesta quinta-feira (06) o Governo Federal anunciou a medida provisória que concede dois salários mínimos para os trabalhadores afetados pelas enchentes, se mostrando mais...

Luta dos trabalhadores da enfermagem merece solidariedade do brasileiro – Adilson Araújo

Não é novidade para ninguém que no Brasil os salários atribuídos à classe trabalhadora são miseravelmente baixos, o que faz da sobrevivência uma ginástica...