15.6 C
São Paulo
sábado, 15/06/2024

Ensino Superior delibera estado de greve, em SP

Data:

Compartilhe:

Segue indefinida a campanha salarial no Ensino Superior no Estado de São Paulo, data-base em 1º de março. A negociação é coordenada pela Federação (Fepesp), que tem 25 Sindicatos integrantes.

Assembleias em todo o Estado, concluídas sexta (24) rejeitaram a contraproposta do sindicato patronal para professoras, professores e não-docentes do Ensino Superior. A decisão foi unânime em todas, que também deliberaram pela instauração do estado de greve. O índice de aprovação do estado de greve foi de 97%.

Segundo Celso Napolitano, presidente da Federação (Fepesp), a deliberação é uma forma de reafirmar as reivindicações aprovadas pela categoria, quando das assembleias de definição da pauta.

Ele reforça os itens principais reivindicados: “Reposição da inflação, mais 2% de aumento real na data-base. Também pleiteamos a definição do Piso Salarial e do regramento das disciplinas a distância em cursos presenciais”. E completa: “Essas são questões fundamentais à categoria. E a hora de avançar é agora”.

Grupos – Na prática, a campanha está travada. A Fepesp aponta a ingerência crescente dos grandes grupos mercantis da educação, cujo objetivo é o barateamento de custos, à base da precarização das condições salariais e de trabalho.

Garantias – Por força da Convenção Coletiva em vigor, as cláusulas sociais estão garantidas até fevereiro próximo. Essa garantia tira do setor patronal o que Celso Napolitano chama de “bullying negocial”. Ou seja, a ameaça dos empregadores, nas negociações, de cortar direitos da categoria. Ele finaliza: “Agora, tais bravatas não têm efeito”.

Nesta segunda (27), haveria nova rodada com o Semesp (patronal), quando a entidade seria informada pela Fepesp da instauração do estado de greve em todo o Estado.

MAIS – Fique em contato com seu Sindicato ou a Federação. Ignore as fake news e não aceite qualquer tipo de pressão.

Conteúdo Relacionado

Cesta básica sobe, mostra o Dieese

Pesquisa mensal do Dieese apura que em maio o valor do conjunto de alimentos básicos aumentou em 11 das 17 Capitais. A Pesquisa Nacional...

Sindicato de Niterói firma aditivo com avanços

Mais uma vitória para uma grande parcela de frentistas no Estado do Rio de Janeiro. Desta vez, de Araruama, Cachoeira de Macacu, Guapimirim, Iguaba...

Miguel da Força defende democracia e inclusão

Na quarta (12), Miguel Torres falou em nome do sindicalismo nacional e da classe trabalhadora na Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra,...

CUT debate os impactos dos parques eólicos para a classe trabalhadora

A CUT debateu nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12) em Natal, no Rio Grande do Norte, os impactos dos parques eólicos nas comunidades locais,...

Químicos de Rio Claro fazem Curso de Fortalecimento da CIPA

O Sindicato dos Químicos de Rio Claro e Região, em parceria com o DIESAT e com o apoio da FEQUIMFAR, realiza entre os dias 10...