A Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp), que representa Sindicatos de profissionais do ensino particular, informa que irá denunciar no Ministério Público do Trabalho as escolas que convocarem os profissionais para o ensino presencial.

Segundo a Fepesp, a Justiça já decidiu que as atividades escolares presenciais estão proibidas neste momento crítico da pandemia, com a crescente de casos e mortes pela Covid-19.

Para o presidente da entidade, o professor Celso Napolitano, o governo do Estado age de forma equivocada na questão da flexibilização das regras do Plano SP e a permissão de reabertura dos colégios. “Contra todas as opiniões da ciência, insistem em manter as escolas abertas”, critica Napolitano.

O professor Celso teme a piora no quadro de casos em decorrência da abertura das instituições de ensino. “Esse é um ambiente propício para a disseminação do vírus. Mas o governo não obedece a ciência e também não obedece, infelizmente, as decisões da Justiça”, explica o dirigente.

Decisão – Celso Napolitano conta que existe uma decisão, da juíza da 9ª Vara da Fazenda Pública, dra. Simone Gomes Rodrigues Casoretti, que proíbe a convocação de professores para as escolas nas fases vermelha e laranja do Plano SP, mas que o governo estadual prefere criar novas fases e regras para driblar as decisões judiciais.

“Os sindicatos patronais foram notificados. Se a sua escola está usando de coação para mantê-lo em atividade presencial, o seu Sindicato encaminhará todos os casos de desobediência ao Ministério Público do Trabalho”, conclui o presidente da Fepesp.

Vídeo – Clique aqui e assista ao informe do professor Celso Napolitano.

MAIS – Acesse o site da Fepesp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui