Prepare-se para as eleições!

0
266
desafios
Luiz Carlos Motta é presidente da Fecomerciários e da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC). É também Deputado Federal (PL/SP)

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão está de vento em popa. É importante e necessário prestar atenção no que você vai assistir, ouvir e ler durante esse período de propaganda em massa, que vai até 29 de setembro.

Há mais de 200 anos, já dizia o orador irlandês John P. Curran que “o preço da liberdade é a eterna vigilância”. A frase, válida até hoje, está baseada na reflexão sobre a necessidade de se monitorar e checar continuamente o grande volume de informações que chegam até nós, pra que possamos fazer as escolhas certas.

A vigilância se faz comparando o que se divulga com o que realmente o candidato fez durante o seu mandato; se é candidato de primeira viagem, o que ele fez até agora pra merecer o seu voto. É recomendável avaliar as propostas e conferir o que é fato e o que é fake.

O campo fértil para as fake news está nas redes sociais. Estas disputam a sua atenção e audiência até mais do que o rádio e a TV, porque o canal está em suas mãos, funcionando dia e noite, por meio do celular que dorme e acorda com a maioria das pessoas.

As fake news são ameaças que se agigantam. A cada informação que chega pelos grupos de WhatsApp ou por outras redes sociais é preciso estar atento e conferir, antes de compartilhar.

Grupos especializados na produção de textos, vídeos, áudios e gráficos conseguem dar a uma mentira um ar de verdade e vice-versa. Conseguem até colocar a voz de um imitador, em cima da fala de um político, como se esse estivesse dando aquela declaração fake.

Em muitos casos, a notícia inventada é replicada nas mídias sociais como se tivesse sido publicada por um jornal conceituado, mas que na realidade é uma cópia muito parecida com o jornal verdadeiro. Para enganar, usam o mesmo tipo de diagramação, tamanho de letras e título parecido com o do jornal real. Isso acontece em várias partes do mundo.

Pra checar se uma notícia é ou não verdadeira, a melhor saída é pesquisar se ela foi veiculada na imprensa tradicional. Você pode acessar os sites já conhecidos de notícias. Os veículos de verdade costumam checar todos os itens de uma informação, antes de publicá-la como notícia, o que dá credibilidade ao conteúdo.

Você caro leitor e cara leitora que se preocupa com o seu futuro e o futuro dos seus filhos, netos e amigos: preste muita atenção para não ser enganado, diante dessa avalanche de informações.

Não deixem pra decidir o voto na última hora. Pesquisem, confiram e comparem. Exerçam o voto consciente. Valorizem a liberdade de escolha. E, principalmente, tomem cuidado com a praga das fake news!

Clique aqui para ler mais artigos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui