21.3 C
São Paulo
sábado, 18/05/2024

Frentista de MG melhora salário

Data:

Compartilhe:

Frentistas do Estado de Minas Gerais fecharam acordo coletivo. A negociação foi difícil, exigindo cinco meses de tratativas com o setor empresarial. Eles terão 6,97% de reajuste salarial, retroativo a novembro de 2023, data-base da categoria. Além disso, vão receber R$ 540,00 a título de PLR – Participação dos Lucros e ou Resultados da empresa.

O acordo se aplica aos mais de 40 mil funcionários de todo o Estado que trabalham em postos de combustíveis, derivados, trocas de óleo, incluindo lava-rápidos e lojas de conveniência.
Eusébio Luis Pinto Neto, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis e Derivados de Petróleo – Fenepospetro, saúda os dirigentes e a categoria. Ele afirma: “Os dirigentes foram firmes e determinados durante toda a campanha e a categoria confiou na capacidade das direções. Essa unidade, somando forças, criou condições para avançar. Estão todos de parabéns”.

As diferenças salariais do período serão pagas em três parcelas. Nos holerites de julho, agosto e setembro, assim como o resíduo referente ao 13º salário de 2023. Já a Participação nos Lucros (PLR) será depositada em abril, maio e junho, no valor de R$ 180,00 por mês.

Avanços – Entre as principais conquistas da negociação coletiva está o reajuste da cesta básica, de 20%, passando de R$ 170,00 pra R$ 205,00, já em abril. A categoria também manteve todas as cláusulas sociais da Convenção Coletiva, tais como seguro de vida, adicional de caixa, gratificação de férias de 20 horas e a opção de cesta básica em alimento ou cartão.

A negociação entre o patronato e o Sinpospetro de Belo Horizonte foi acompanhada pelo vice-presidente do Fenepospetro, Francisco Soares de Souza (o Chico Frentista). “O acordo foi razoável, considerando-se o que foi oferecido inicialmente e o que acabou concretizado”, avalia o histórico dirigente da categoria.

Dificuldades – Houve sete reuniões entre as partes até o acordo final. Incialmente a proposta patronal era um reajuste de apenas 70% do INPC acumulado até novembro de 2023 (4,14%).

“Até a quinta rodada de negociações, o sindicato patronal manteve essa mesma proposta. Os patrões não queriam sequer repor a inflação do período”, lembra Possidônio Valença, presidente do Sinpospetro BH.

Em relação à PLR, a oferta inicial era de apenas R$ 100,00. Porém, ao final mais que quadruplicou, chegando a R$ 540,00. O presidente Possidônio comenta: “Todo ano nós temos dificuldades nas negociações, mas essa foi essa está entre as mais demoradas de todas”.

Compare – O INPC acumulado estava em 4,14%. O reajuste obtido pelo Sindicato assegura 2,83 pontos percentuais acima da inflação nos salários. A cesta básica obtém cerca de 20% acima do valor anterior.

MAIS – Saiba mais no site do Sinpospetro BH.

Conteúdo Relacionado

Futebol dos Metalúrgicos volta domingo e arrecada para o Rio Grande do Sul

Ganha reforço neste domingo (19) a campanha do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região em prol das vítimas das enchentes do Sul. A...

Cartilha do MPT lista os atos antissindicais

O Ministério Público do Trabalho publicou a cartilha "Atos Antissindicais. O que fazer?". Documento idealizado pela Conalis - Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade...

Centrais farão Plenária

Quarta, 22, as Centrais Sindicais realizarão plenária em Brasília. A parte da manhã será dedicada a debater a Pauta Unitária aprovada na Conclat 2022,...

O Sul precisa de ajuda, diz líder frentista

O Sindicato dos Frentistas do Rio Grande do Sul fica no Centro de Porto Alegre, Capital. Na quarta, 15, às 11h50, a água ainda...

Sinpro Campinas completa 83 anos

quarta, dia 15, o Sinpro Campinas completou 83 anos. Integrante da Federação (Fepesp), a entidade representa o professorado da rede privada, além do Sistema...