17 C
São Paulo
quarta-feira, 24/07/2024

Metalúrgica elogia Lei e se diz honrada com Lula

Data:

Compartilhe:

As trabalhadoras se lembrarão do dia 3 de julho de 2023 como data histórica. Nesse dia, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei 1.085/2023, que garante igualdade salarial entre homens e mulheres na mesma função.

O encontro reuniu 800 mulheres de todo o País, na Base Aérea, Brasília. Uma delas era Raquel de Jesus, diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região (Grande SP).

Baiana de Monte Santo, operadora de máquina na Bristol, Raquel se diz feliz honrada com a oportunidade. “Sou uma mulher simples. Considero uma honra participar de evento dessa importância com o presidente do meu País. É muito bom saber que temos na Presidência alguém que pensa no povo e não menospreza as mulheres”, comenta.

Integrante do Departamento Feminino do Sindicato, Raquel de Jesus comenta: “A igualdade salarial e de oportunidades entre homens e mulheres sempre foi bandeira do sindicalismo e do nosso Sindicato, ao longo dessas seis décadas de existência”.

Raquel também está feliz por ter conseguido entregar a Lula a Revista alusiva aos 60 anos do Sindicato, celebrados em 30 de abril. “O ambiente estava lotado, mas mesmo assim consegui dar a ele um exemplar da nossa Revista”, ela conta.

História – O Projeto de Lei 1.085/2023 foi anunciado por Lula em 8 de Março, Dia Internacional da Mulher. O Presidente articulou e o Congresso Nacional rapidamente votou a matéria.

Lares – Raquel de Jesus ressalta a importância da Lei. Segundo a dirigente, “hoje, 48% dos lares brasileiros são chefiados por mulheres”. Para ela, a paridade salarial ajudará a elevar a renda dessas trabalhadoras e de suas famílias, já que, na prática, são chefes da casa.

Desafio – Segundo a baiana, que chegou em Guarulhos em 2008 e começou a trabalhar em fábrica no mesmo ano, a tarefa agora é fazer a Lei 1.085 ser cumprida nas empresas. Ela afirma: “O patronato precisa entender que o tempo da discriminação já passou. Quanto ao sindicalismo, devemos ir à luta pra que a lei saia do papel”.

MAIS – Clique aqui e acesse estudo do Dieese sobre o tema.

Conteúdo Relacionado

Professorado começa a planejar campanha 2025

No mês de junho, a Federação dos Professores no Estado de São Paulo e os 25 Sindicatos integrantes assinaram o último acordo coletivo de...

Eleição metalúrgica será unitária

Com a unidade consolidada por meio da Chapa 1 - “A luta faz a lei!” - os metalúrgicos de São Paulo e Mogi das...

Comerciários/UGT promovem Mutirão e Encontro Nacional

Dois fatos marcarão o calendário dos Comerciários de São Paulo e também da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central à qual o Sindicato é...

Portaria de Marinho é lesiva aos frentistas

O Brasil possui perto de 500 mil trabalhadores em postos de combustíveis e lojas de conveniência.  A categoria, por atuar em ambiente insalubre, recebe...

Metalúrgicos do ABC fazem Arraiá

Mais uma entidade promove Festa Julina. Agora, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O arraiá da categoria acontecerá dia 19 e 20 (sexta e...