Defesa do Emergencial fortaleceu as Centrais, afirma UGT

0
482
UGT critica Emergencial arrochado
Ricardo Patah é presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo e da União Geral dos Trabalhadores (UGT)

O Auxílio Emergencial de R$ 600,00, pra mais de 60 milhões de brasileiros, nasceu da luta sindical. O governo não queria pagar. Mas o tempo deu razão às Centrais.

Ricardo Patah, presidente da UGT, comenta: “A situação do povo brasileiro seria catastrófica não fosse esse Auxílio, que precisa voltar a ser pago pelo Estado, até que a pandemia seja dominada”.

Mais – O sindicalista cita também pressão sindical na derrubada do veto governamental à continuidade da desoneração da folha. Diz Patah: “Ajudamos a derrubar duas MPs e começamos o ano com a definição de uma pauta enxuta, centrada na questão da vacina pra todos, da continuidade do Emergencial, luta por emprego e ações solidárias”.

No item da solidariedade, Ricardo Patah destaca o envio pela Venezuela de oxigênio aos hospitais de Manaus e também a articulação com a China, por meio da maior Federação trabalhista local, a fim de liberar insumos para a vacina.

Brasília – Hoje, as Centrais debatem a pauta com os candidatos a presidir o Senado. A Agência Sindical divulgará os resultados.