15.1 C
São Paulo
sábado, 13/07/2024

“Reestruturação produtiva” – por Vargas Netto

Data:

Compartilhe:

Reestruturação produtiva – As crônicas da escravidão registram que em um mesmo eito de café de uma das fazendas do senador Vergueiro trabalhavam pessoas com, ao menos, cinco tipos diferentes de relação de trabalho: escravo, ex-escravo, camarada, colono e assalariado. A heterogeneidade da força de trabalho é uma constante do capitalismo em todas as suas épocas.

Mas o que acontece hoje no mundo (exceto na China) é esta desorganização histórica elevada ao cubo, com o multiplicador do desemprego maciço e da informalidade crescente.

A multinacional Mercedes Benz em sua fábrica de São Bernardo pretende agravar essa situação demitindo 3.600 metalúrgicos, 1.300 dos quais temporários e terceirizando quase toda a sua cadeia produtiva.

E a isto chama “reestruturação produtiva”, como transparece na matéria assinada por João Sorima Neto, no Globo de segunda-feira, (19/09), “para driblar a crise”.

A reação dos metalúrgicos e do sindicato do ABC não tem sido a mesma que tiveram os colegas de São José dos Pinhais e o sindicato de Curitiba ao enfrentarem por duas vezes com greves longas os arreganhos da multinacional Renault. Ela foi obrigada a recuar de suas maquinações “reestruturantes”, até mesmo as antissindicais.

Esperemos que a habilidade em negociação dos paulistas preserve, pelo menos, os direitos dos trabalhadores que percam seus empregos.

Como complemento deste texto conclamo à solidariedade aos enfermeiros e às enfermeiras, aos técnicos de saúde, aos auxiliares e às parteiras em sua luta (agora defensiva) para garantir o piso profissional de suas profissões que é lei.

Eles vão à luta com seus Sindicatos, entidades profissionais e conselhos para obter que o Congresso Nacional reafirme sua decisão e confirme a validade do diploma legal promulgado corrigindo eventuais erros e insuficiências porventura existentes.

João Guilherme Vargas Netto – Consultor sindical de entidades de trabalhadores e membro do Diap.

Clique aqui e leia mais opiniões de Vargas Netto

Conteúdo Relacionado

Luta pelo fim da violência contra o idoso continua – Milton Cavalo

Junho, o mês de combate à violência contra a pessoa idosa terminou. Mas a questão continua. A violência contra o idoso é uma questão...

A realidade e o povo falam mais alto que o mercado – Adilson Araújo

Pesquisa recente da Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira (10), indica uma significativa alta na aprovação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que atingiu...

Dia de jogo e dia de luta – Ricardo Pereira de Oliveira

Tem uma famosa frase do escritor Nelson Rodrigues que diz: “A seleção é a Pátria de chuteiras”. Depois daqueles 7x1 que levamos da Alemanha...

Viver é aprender: o que a vida pode nos ensinar – Antônio Augusto De Queiroz

Vivemos em mundo caótico, confuso e sobretudo conflagrado, onde opiniões são formadas sem qualquer controle ou mediação, muitas vezes influenciadas por algoritmos, constituindo-se numa...

Com a Sabesp privatizada, você vai entrar pelo cano! – Eduardo Annunciato – Chicão

É no mínimo inexplicável a disposição que grande parte do povo paulista tem para desperdiçar o seu voto. Como o Estado mais rico do...