23.4 C
São Paulo
sábado, 15/06/2024

A tal reinvenção

Data:

Compartilhe:

O ato do 1º de Maio é um fracasso das cúpulas sindicais, fechadas em torno de si mesmas.
Portanto, é furada a proposta de Paulinho da Força de “reinventar ou morrer”
Na base, o sindicalismo segue.

Professores da rede privada de SP fecham acordo com aumento real de salário, 17,4% no Piso etc. No Rio, frentistas firmam Convenção com ganho real e avanços. Dia 28, o Ato e Canto pela Vida reúne quantidade e qualidade na Praça Vladimir Herzog, Centro, SP. Na mesma data, a UGT inaugura a grande exposição pública sobre o trabalho, na Avenida Paulista.

No próprio dia 1º, a Federação dos Comerciários do Estado de SP reúne 1.200 dirigentes e ativistas. Em Guarulhos, os Metalúrgicos obtêm acordos diários PLR nas fábricas, elegem Cipas, promovem torneio de Futebol, escolhem Representantes Sindicais, melhoram o Clube de Campo e a Colônia de Férias.

Quem é que está morrendo?

João Franzin
João Franzin
Jornalista e coordenador da Agência Sindical

Conteúdo Relacionado

Custeio em debate

O sindicalismo não deve temer cara feia, ainda que seja a do Rogério Marinho. A causa do custeio sindical é justa e devemos debater, olho no olho, com o renitente senador bolsonarista. Nenhuma organização (a não ser as do crime) vive sem uma contribuição justa, apoiada na lei. A luta segue. SP 11/junho/2024

Necessidade da sindicalização

No início deste ano, o consultor João Guilherme Vargas Netto propôs que 2024 fosse o ano da sindicalização. Por quê? Dois os motivos: 1) A sindicalização está caindo no País; 2) A sindicalização estreitaria a relação direção e base, reforçando a representatividade dos Sindicatos. Um semestre já se foi e a sindicalização não andou. Temos, portanto, mais seis meses pra cuidar de assunto tão fundamental à sobrevivência do próprio movimento. SP 3/junho/2024

CUSTEIO

Escreve o Diap em seu site: "Há dois projetos de lei em discussão no Senado, que procuram regulamentar a questão da assistencial. Ambos caminham na lógica antissindical, de vetar o financiamento da organização sindical, nos moldes da contrarreforma trabalhista - Lei 13.467/17". Vale recordar. Tínhamos o imposto sindical. Mas patrões, CUT e setores de umas outras Centrais lutaram pelo seu fim - e Michel Temer prazerosamente os atendeu. Agora vamos reclamar do quê? SP - 25/janeiro/2024

Defender ou fortalecer?

No Card alusivo à manifestação das Centrais Sindical, dia 22/5, o texto fala “todos EM DEFESA da Pauta da Classe Trabalhadora”. Bem, só de defende o que está sob ataque ou na iminência de. Não é o caso. Portanto, a palavra de ordem deveria ser FORTALECER A PAUTA e não defender. SP 20/maio/2024

TODO APOIO AO SUL

Sindicalismo, partidos, igrejas, cidadãos. É hora de ajudar os flagelados do Rio Grande do Sul. Vale dizer, por ser óbvio, que a imensa maioria...