Sindicalismo perde Calixto, dirigente correto e coerente

0
416
Coordenador da Agência Sindical, o jornalista João Franzin entrevista José Calixto Ramos

A Agência Sindical recebeu, no final da noite de ontem (3), a notícia da morte de José Calixto Ramos, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria.

Ele estava hospitalizado em Recife, infectado pela Covid-19. Aos 92 anos, Calixto mostrava recuperação, mas não resistiu a uma parada cardíaca.

Para a Nova Central, o movimento perde um defensor histórico do sindicalismo forte e independente. Luiz Gonçalves (Luizinho), presidente da Nova Central SP, destaca seu caráter. “Calixto era correto, reto, verdadeiro. Onde chegasse, fosse numa reunião sindical, numa audiência no Congresso Nacional ou sessão do Supremo, era sempre tratado com muito respeito”, ele observa.

FST – Um dos idealizadores do Fórum Sindical dos Trabalhadores (que reúne as Confederações), José Calixto Ramos, não raro dava a última palavra, ponderada ou firme, conforme as circunstâncias.

O Fórum publicou Nota Oficial, assinada por seu coordenador, professor Oswaldo Augusto de Barros. “Amigo de primeira hora. Companheiro insubstituível de luta. Correto, digno e confessor de causas e causos. Perdemos um irmão de fé. A família FST chora sua perda”, diz o texto assinado pelo professor.

MAIS – Em nosso site e também no Repórter Sindical, mais informações sobre José Calixto Ramos.