Trabalhadores marcharão à Brasília por democracia e justiça – Ismael Cesar

0
12

Deliberado no Congresso Nacional da Central Única dos Trabalhadores, ocorrido em outubro de 2023, a Marcha da Classe Trabalhadora à Brasília, está marcada para o dia 22 de maio, e deverá reunir milhares de trabalhadoras e trabalhadores na Esplanada dos Ministérios.

Um dos objetivos da mobilização é apresentar ao Presidente Lula e ao Congresso Nacional uma agenda que garanta o pleno emprego, melhores salários, e desenvolvimento econômico e social para o país.

No entanto, é imprescindível que sejam revogadas as medidas anti povo, adotadas por Michel Temer e Jair Bolsonaro, como a reforma trabalhista, a lei da terceirização e a Reforma da Previdência.

Outro ponto importante que constará das exigências será a retirada da pauta do Congresso Nacional, o Projeto de Emenda Constitucional 32, a chamada Reforma Administrativa, apresentada por Bolsonaro, e que tem por objetivo destruir os serviços públicos. A CUT, suas Confederações e Sindicatos foram decisivos para barrar a tramitação desse projeto no governo passado, no entanto, o Presidente da Câmara, Artur Lira, ameaça recolocar novamente em pauta essa matéria.

Como havia previsto a Presidenta Dilma Rousseff, o golpe de 2016 foi contra o povo, assim como todos ataques desferidos por Temer e Bolsonaro, a Reforma Administrativa é parte desse ataque que pretende destruir os serviços públicos, privatizar o que for possível e piorar as condições de vida da população.

A Marcha da Classe Trabalhadora dialoga  com o que foi dito pelo Presidente Lula, em 18/01/2023 no Palácio do Planalto: ” é exatamente porque o Lula é o presidente que você tem que fazer pressão”, disse o presidente a época, mas a depender do atual Congresso Nacional nenhum avanço será conquistado para a classe trabalhadora. Aquela casa funciona como uma panela de pressão, portanto que sejamos o fogo para esquentar essa panela.

É necessário romper com a lógica do Arcabouço Fiscal, que coloca  em prática o impedimento de novos recursos para a saúde, educação, saneamento, e demais projetos sociais importantes para o desenvolvimento nacional. Que impõe o contingenciamento fiscal e impede que haja recursos para recompor as perdas salariais do funcionalismo público federal.

Nós queremos que o governo Lula dê certo, sabemos dos retrocessos que representam governos comprometidos com a lógica liberal e com o grande capital financeiro. Por isso, estaremos em Brasília no dia 22 de maio para reafirmar que queremos uma democracia plena em nosso  país.

Um Brasil democrático representa melhor distribuição de renda. Lembrando ainda o que disse Lula: “Não adianta o PIB crescer se ele não for distribuído…” É este o objetivo  da Marcha, queremos ser o apoio necessário para dar garantias ao governo Lula, de que o povo estará ao seu lado para avançar por um Brasil melhor para todos nós.

Ismael José Cesar. Executiva Nacional da CUT