20.1 C
São Paulo
terça-feira, 23/04/2024

Amar e ajudar o Brasil

Data:

Compartilhe:

O Três fatos recentes de nossa história provocaram estragos imensos no País. A crise que levou à derrubada de Dilma, o governo tragicamente neoliberal de Temer e a gestão, extremista, intolerante e incompetente de Jair Bolsonaro.

O saldo desses três fatos é conhecido, e dramático: enfraquecimento da democracia, cortes violentos em direitos trabalhistas e o estímulo ao ódio e à divisão entre os brasileiros.

Some-se a isso a tragédia da pandemia gerada pela Covid-19, com a morte de quase 700 mil brasileiros, os gastos médicos de suas famílias, o sofrimento das famílias e as sequelas que afligem boa parte dos que foram infectados pelo novo Coronavírus.

A tradução disso em números é uma hecatombe, com quebradeira de pequenas empresas, endividamento recorde das famílias, demissões em massa, arrocho salarial, corte de direitos, enfraquecimento do poder de negociações dos Sindicatos, aumento na devastação ambiental e desmoralização do Brasil no cenário internacional.

Bem. Essa é a nossa situação real e é a partir dela que temos de reerguer o Brasil, recolocar o País no caminho do desenvolvimento, gerar empregos, recuperar o poder de compra dos aposentados e fortalecer nosso mercado interno.

Nessa conjuntura trágica a primeira tarefa já foi cumprida, ou seja, derrotar Bolsonaro. Mas o que vem pela frente será um desafio semelhante a reconstruir um País devastado pela guerra.

Essa reconstrução não depende de um partido ou de um homem só, embora, naturalmente terá que ser comandada por um líder. No caso, o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva. Eleito por uma frente ampla, ele tem acertado ao compor uma equipe também ampla para cuidar da transição.

O movimento sindical tem uma Pauta Unitária, eleita pela Conclat em abril deste ano. Mas a nossa responsabilidade atual é dar respaldo ao futuro presidente Lula, para que ele possa cumprir compromissos fundamentais, entre os quais aumentar o salário mínimo, gerar empregos e garantir alimentação a milhões de brasileiros que passam fome.

Esse apoio à reconstrução precisa ser tripartite. Ou seja, engajar o próprio governo, o empresariado produtivo e também os trabalhadores, por meio de nossas representações. Essas são as forças fortes que poderão nos reerguer. Tenho esperança que cada uma das partes dará sua contribuição.

Nação – O reerguimento de um País passa também pelo resgate da ideia de Nação, ou seja, à consciência de que todos somos brasileiros, iguais em direitos e deveres. Passa também pelo resgate de valores culturais, pelo respeito à diversidade e convivência respeitosa entre os diferentes.

Dia 20 começa a Copa do Mundo. Pode parecer mais um evento esportivo. Mas quem sabe não será também a oportunidade de resgatar a alegria de torcer, o prazer de reunir os amigos e a chance de nos darmos de novo as mãos?

Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.
Email – josinaldo@metalurgico.org.br
Site – www.metalurgico.org.br

Clique aqui e leia mais artigos

Josinaldo - Cabeça
Josinaldo - Cabeça
Josinaldo José de Barros (Cabeça), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região Email - josinaldo@metalurgico.org.br

Conteúdo Relacionado

Precisamos de um reforma tributária progressiva para reduzir desigualdades – Adilson Araújo

O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo, fenômeno que está na raiz da violência que perturba e apavora nosso povo. No Relatório...

Trabalhadores marcharão à Brasília por democracia e justiça – Ismael Cesar

Deliberado no Congresso Nacional da Central Única dos Trabalhadores, ocorrido em outubro de 2023, a Marcha da Classe Trabalhadora à Brasília, está marcada para...

A importância e os desafios das frentes parlamentares – Antônio Augusto de Queiroz

As frentes parlamentares e bancadas informais desempenham papel relevante no cenário político, representando forma interessante de articulação, representação e influência para interesses diversos. Compostas...

Fiscalização da Previdência brasileira garante proteção – Wanderson Ferreira

A Previdência Social parte do princípio de que todos os trabalhadores precisam estar seguros em caso de perda de a capacidade de trabalhar, o...

Decisão lamentável – João Guilherme

Recentemente o juiz Eduardo Pires, da 30ª Vara do Trabalho de São Paulo, decidiu que o trabalhador não sindicalizado não tem direito aos benefícios...