20.1 C
São Paulo
terça-feira, 23/04/2024

Bolsonaro cai mais, aponta Datafolha

Data:

Compartilhe:

A semana foi marcada pela reafirmação da queda na popularidade do presidente Jair Bolsonaro. Pesquisa do Datafolha, publicada quinta, dá conta de que, num segundo turno, Luiz Inácio Lula da Silva teria 56% dos votos e Jair Messias Bolsonaro ficaria com 31%.

Nas simulações com os demais candidatos – como Ciro Gomes – Bolsonaro também perde. Outra má notícia para o atual presidente é que, hoje, 56% dos brasileiros já apoiam seu impeachment. Outra tijolada: 57% NUNCA acreditam no que ele fala.
Problemas – As prioridades do brasileiro, apontadas pela enquete nacional do Datafolha, são: Saúde, 22%; desemprego, 13%; Economia, também 13%.

Ricos – O único segmento da sociedade onde Bolsonaro mostra boa vantagem é entre os empresários: 37% consideram seu governo bom ou ótimo.

Rejeição – No item “não voto de jeito nenhum”, Bolsonaro lidera com 59%. Já o ex-presidente Lula fica em 38%.

Pesquisados – Um dos mais confiáveis institutos brasileiros, o Datafolha ouviu 3.667 brasileiros, entre os dias 13 e 15 de setembro. De 1989 para cá, o Datafolha é o órgão de pesquisa que menos tem errado.

Evangélicos – Cai a popularidade e decresce o apoio entre a grande massa evangélica. No começo do ano, Bolsonaro detinha 49% de aprovação entre esse segmento. Agora, 29%. Perda, portanto de 11 pontos – mais de 1 ponto perdido por mês.

Guedes – Outro que vem caindo pelas tabelas é o “posto Ipiranga” do presidente Bolsonaro, seu superministro Paulo Guedes. Em abril, a rejeição (ruim e péssimo) era de 16%; agora subiu a chega a 34%. Ou seja, Bolsonaro contamina.

Fatores – Desemprego, falta de vacinas, ataques a direitos, agressões verbais a pessoas e a instituições – tudo isso tem empurrado pra baixo a popularidade do atual presidente da República. Seu grau de rejeição é inédito, se comparado a ex-presidentes.

Cenário – Com inflação em alta, o atual governo mostra-se incapaz de enfrentar a crise econômica. Só o gás de cozinha subiu 5% na semana encerrada neste sábado. Preços nos supermercados também crescem e a cada dia fica mais difícil às famílias darem conta da cesta básica necessária à alimentação. Contas de luz disparam.

Política – Políticos de direita ou conservadores tentam se afastar da imagem do presidente. Buscam uma terceira via entre Bolsonaro e Lula. Já os partidos do campo progressista ampliam o que chamam de frente contra o governo.

Acesse – datafolha.folha.uol.com.br

Conteúdo Relacionado

Engenheiros abrem campanha salarial

Acontece quarta, 24, o XXIII Seminário sobre Campanhas Salariais do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo. Será no auditório do Seesp, à...

Economista explica melhora na renda

A renda per capita no Brasil bateu recorde de crescimento em 2023. Subiu de R$ 1.658,00 pra R$ 1.848,00, alta de 11,5% em relação...

Sindicalismo perde Chicão

Com imensa tristeza, vimos informar a morte de Francisco Cardoso Filho, Chicão, que presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região de 1987...

Alimentação busca regulamentar custeio sindical

O pedido de isenção da contribuição sindical por parte do trabalhador só pode ser feito antes da assembleia da categoria. Esta é a posição...

Escola do Sinpro SP promove novos cursos

A Escola de Professores do Sinpro SP está com vagas abertas para dois novos cursos neste mês de abril. A programação é voltada para...