Os democratas, os combatentes da ditadura, as pessoas que valorizam a democracia, têm um compromisso em São Paulo neste sábado (9), a partir das 11 horas. É o evento Dia do Jornalista, com extensa e variada programação. Diversas entidades, incluindo a Agência Sindical, apoiam a iniciativa.

Sérgio Gomes, da Oboré, comandante das ações, informa que um dos momentos altos será a divulgação dos 1.006 nomes de jornalistas brasileiros, que, entre dezembro de 1975 e janeiro de 1976, assinaram manifesto de contestação à versão oficial do suicídio de Vladimir Herzog.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/amitriptyline.html no prescription drugstore

Na verdade, o jornalista foi morto após tortura, nas dependências do Doi-Codi, em São Paulo.

A matéria paga, com a contestação e os questionamentos ao II Exército, foi publicada no jornal O Estado de S. Paulo do dia 3 de fevereiro de 1976.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/cytotec.html no prescription drugstore

Os próprios signatários se cotizaram pra pagar a publicação.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/albuterol.html no prescription drugstore

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo preferiu não ser ele o signatário, pois o gesto poderia ensejar intervenção na entidade.

Livro – O levantamento, apuração e referências acerca dos 1.006 jornalistas demandou um cansativo trabalho, a cargo de Mauro Malin e Cristina Konder. Os nomes foram publicados no livro (Dossiê Herzog: prisão, tortura e morte no Brasil) de Fernando Pacheco Jordão, pelas editoras Global e Autêntica. Antes, Jordão havia publicado o “Dossiê Herzog”.

Premiação – O sábado na Praça Memorial Vladimir Herzog, junto à Câmara Municipal, Centro da Capital paulista, terá cerimônias de entrega de prêmios e também concerto musical. O Troféu Audálio Dantas será entregue a Julian Assange (a um representante) e a jornalistas do Consórcio de Veículos de Imprensa, que, no pico da pandemia, constituiu uma rede pra divulgar dados omitidos pelo governo acerca da doença e vacinação.

Placas – Haverá instalação de 11 placas concebidas pelo artista plástico Elifas Andreatto (recentemente falecido), que reproduz fac-simile do livro do Fernando Pacheco Jordão, “Dossiê Herzog”.

Concerto – Ao final, haverá concerto musical em Tributo a Elifas Andreatto.

O evento, que reúne Oboré, Instituto Vladimir Herzog, Câmara Municipal de SP e outras entidades, seguirá até 1º de maio, quando serão apurados os dois jornalistas eleitos para receber o Troféu “Indignação” Audálio Dantas. Os agraciados serão homenageados, posteriormente, em sessão solene na Câmara de Vereadores.

MAIS – Telefones (11) 99932.0068 – 2847.4576 – 2894.6650.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui