Ecovale, 20 anos em defesa do meio ambiente – Murilo Pinheiro

0
167

Promovido pelo SEESP e pela FNE, Encontro Ambiental do Vale do Paraíba chega a sua sexta edição nesta semana. Criado há duas décadas, evento já aconteceu em âmbito estadual em outras dez oportunidades, demonstrando relevância da questão para a engenharia.

 

Temas absolutamente urgentes para a humanidade, a preservação dos recursos naturais e o combate à poluição estarão em pauta de forma qualificada nesta semana, quarta e quinta-feira (25 e 26/10), em Taubaté. A cidade recebe o VI Encontro Ambiental do Vale do Paraíba (Ecovale), organizado pelo SEESP e pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), com o apoio da Universidade de Taubaté.

Embora a atual edição figure como a sexta, o Ecovale é iniciativa que remonta a 2003, quando foi lançado no âmbito dessa importante região do Estado de São Paulo, lançando luz sobre a questão da sustentabilidade e a colocando em debate de forma técnica e seriamente.

Após ganhar relevância e destaque, o evento tornou-se estadual e aconteceu em nove vezes como Eco São Paulo e uma como Eco Piauí, fazendo com que o debate ambiental ganhasse maior abrangência e profundidade. Para além das atividades realizadas com a marca “Eco”, o tema foi assimilado pela discussão do SEESP e da FNE sobre desenvolvimento, estando sempre presente nas propostas do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”.

Marca do evento desde sempre tem sido não só o diagnóstico dos problemas, mas sobretudo apontar saídas factíveis, como as melhores práticas no setor produtivo e o papel que o Estado deve desempenhar em benefício da população.

Neste ano, entre outros pontos, a programação contempla reciclagem dos resíduos urbanos e o seu valor; a importância incalculável da água e o imperativo do seu uso racional; a busca das cidades por alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da Organização das Nações Unidas (ONU); a importância do gás natural, combustível considerado estratégico para a transição energética; a Amazônia e os rios voadores; licenciamento; e compensação ambiental.

Serão dois dias intensos de exposições e discussões, que em muito contribuirão para profissionais, estudantes e cidadãos em geral preocupados com a questão ambiental. Os frutos desse esforço devem se traduzir em aprendizagem, reflexão e adoção de condutas que contribuam para que a humanidade possa evitar um colapso que inviabilize sua própria existência.

Sem mais tempo a perder, é crucial que haja o compromisso de todos para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, que agravam o aquecimento global, e para buscar meios de fazer frente aos eventos climáticos extremos, que lamentavelmente tendem a ser cada vez mais frequentes.

A engenharia e seus profissionais estão a postos e prontos para dar a sua contribuição.

Eng. Murilo Pinheiro – Presidente da Federação Nacional dos Engenheiros e do Sindicato paulista.

Clique aqui e leia mais artigos de Murilo Pinheiro.

Acesse – www.seesp.org.br