Sindicatos querem suspender cortes na GM

0
102

Por telegrama, a General Mortos – GM demitiu no final de semana centenas de trabalhadores. A resposta da categoria veio em forma de greve, comandada pelos Sindicatos de São Caetano do Sul, São José dos Campos e de SP/Mogi das Cruzes, onde há plantas da montadora.

A Agência Sindical falou com Miguel Torres, da Força Sindical. Ele preside o Sindicato de SP, cuja base em Mogi abriga uma das plantas.

O sindicalista critica a GM. “A empresa adotou uma postura radical, demitindo em massa sem ao menos tentar junto com os Sindicatos um meio de enfrentar o problema. Dispensa por telegrama era prática patronal comum na ditadura”, observa.

Greve GM

Os três Sindicatos, segundo Miguel, defendem, unitariamente, a suspensão das demissões. As entidades também buscam apoio junto ao Ministério do Trabalho e Emprego e ao MPT – Ministério Público do Trabalho.

O presidente da Força Sindical observa que, entre os demitidos, vários estavam em lay-off, ou seja, com os contratos temporariamente suspensos, conforme prevê a Lei. “Esses companheiros, principalmente, não poderiam ter sido dispensados”, alerta Miguel Torres.

Vendas – No primeiro semestre de 2023, a GM vendeu cerca de 30 mil veículos acima do que havia vendido no mesmo período do ano passado.

MAIS – www.metalurgicoscsul.org.br, www.metalurgicos.org.br e www.sindmetalsjc.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui