Greves podem parar São Paulo nesta terça

0
104

Com apoio de várias entidades sindicais, funcionários do Metrô, CPTM/Trens, Sabesp, Saúde e da Fundação Casa (antiga Febem) prometem realizar, nesta terça (28), greve unificada de 24 horas. A luta é contra a privatização de empresas públicas, corte de verbas na Educação, entre outras reinvindicações.

A paralisação foi aprovada por assembleias realizadas pelas entidades na última semana. A greve deve afetar as principais linhas do transporte sobre trilhos de São Paulo, aulas na rede pública estadual e o abastecimento de água pela Sabesp.

Atos – Às 13 horas, o Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo deve realizar ato em frente à Secretaria Municipal da Educação, à rua Borges Lagoa, 1.230, Vila Clementino, SP. Participantes caminharão até a Assembleia Legislativa do Estado (Alesp), onde ocorrerá, às 15 horas, o segundo ato com concentração na entrada da Assembleia, próximo ao Parque Ibirapuera. Apeoesp participará.

Metrô – Previsão é que sejam afetadas as Linhas 1 – Azul; 2 – Verde; 3 – Vermelha e 15 – Prata. Os metroviários se disponibilizaram a trabalhar desde que haja catracas livres para os usuários. O governador do Estado, Tarcísio de Freitas, descarta a possibilidade de atender a esse pedido. Funcionarão as linhas 4 – Amarela e 5 – Lilás

CPTM – As linhas de trem a serem afetadas são 7 – Rubi – e 10 – Turquesa. Nessas, a greve aprovada foi de 24 horas. Já nas Linhas 11 – Coral; 12 – Safira e 13 – Jade, a paralisação é por tempo indeterminado. Não serão afetadas as Linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda.

Nova assembleia deve ocorrer na noite da própria terça pra tratar da paralisação.

MAIS – Sites dos Metroviários, Sintaema, Apeoesp, Facebook e Instagram do Sindicato dos Ferroviários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui