17 C
São Paulo
quarta-feira, 24/07/2024

Metrô de SP demite aposentados especiais e não paga direitos

Data:

Compartilhe:

Os metroviários de São Paulo foram surpreendidos no dia 13 de outubro com a demissão de mais 100 trabalhadores em aposentadoria especial. Todos foram dispensados sem receber as verbas rescisórias.

A justificativa da empresa é a Lei nº 8.213/91, que determina a suspensão do benefício de aposentado especial na ativa em condições de insalubridade. O departamento jurídico do Sindicato dos Metroviários de SP alega que as dispensas não têm base legal e afirma que entrará com Ação Coletiva para reverter a decisão.

Wagner Fajardo, coordenador-geral do Sindicato, explica que o desligamento se assemelha a demissão por justa causa. “O máximo que o Metrô poderia fazer em relação aos aposentados especiais era pagar todos os direitos e comunicar ao INSS”, ele afirma.

O dirigente conta que a dispensa em massa não foi comunicada a entidade. O que na prática é um desrespeito às relações coletivas de trabalho.

Fajardo diz: “Num cenário de pandemia, a direção do Metrô não levou em consideração os anos de serviços prestados à Companhia. Demitiu os trabalhadores como se eles tivessem cometido uma falta grave ao recorrer ao seu direito de uma aposentadoria especial”.

Orientação – O Sindicato orienta a categoria que não movam ações individuais, porque podem prejudicar a Ação Coletiva, que tem muito mais força e chances de vitória. “Uma demissão coletiva exige uma resposta coletiva. O fundamento ilegal da dispensa em massa é um só e vamos atacá-lo”, explica o advogado previdenciário Thiago Barison.

Conteúdo Relacionado

Professorado começa a planejar campanha 2025

No mês de junho, a Federação dos Professores no Estado de São Paulo e os 25 Sindicatos integrantes assinaram o último acordo coletivo de...

Eleição metalúrgica será unitária

Com a unidade consolidada por meio da Chapa 1 - “A luta faz a lei!” - os metalúrgicos de São Paulo e Mogi das...

Comerciários/UGT promovem Mutirão e Encontro Nacional

Dois fatos marcarão o calendário dos Comerciários de São Paulo e também da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central à qual o Sindicato é...

Portaria de Marinho é lesiva aos frentistas

O Brasil possui perto de 500 mil trabalhadores em postos de combustíveis e lojas de conveniência.  A categoria, por atuar em ambiente insalubre, recebe...

Metalúrgicos do ABC fazem Arraiá

Mais uma entidade promove Festa Julina. Agora, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O arraiá da categoria acontecerá dia 19 e 20 (sexta e...