15.6 C
São Paulo
sábado, 15/06/2024

MP reduz imposto e preserva ganhos

Data:

Compartilhe:

Boa notícia para os trabalhadores, especialmente aos de baixa renda. O governo anunciou, terça (6), aumento na faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) pra dois salários mínimos. Trata-se da segunda melhoria na isenção desde o início do atual governo.

Histórico – Desde 2015, o teto de isenção estava em R$ 1.903,98. Lula elevou o teto em maio de 2023 pra R$ 2.640,00. Agora, chega a R$ 2.824,00. A não-atualização da tabela, por Temer e Bolsonaro, fez com que assalariados pagassem cada vez mais Imposto de Renda, derrubando a renda das famílias.

Fórmula – Contribuinte com ganho até R$ 2.824,00 será beneficiado com a isenção porque, desse valor, se subtrai o desconto simplificado, de R$ 564,80. Assim, a base cálculo cai pra R$ 2.259,20, ou seja, limite máximo da faixa de alíquota zero da nova tabela.

A Medida Provisória 1.206/24 foi encaminhada ao Congresso. Publicada no Diário Oficial, ela já está valendo.

Contador – A Agência Sindical ouviu o contador Paulo Segeti, do Escritório Orgedson. Tomando-se por base um salário de R$ 3,5 mil, ele explica: “A pessoa terá 15% de imposto, ou seja, R$ 525,00. Mas tem um valor fixo a deduzir, de R$ 381,41. Pagará, portanto, R$ 143,56 ao mês”.

Esse contribuinte fará a declaração anual, podendo deduzir gastos médicos, com dentista, plano de saúde, exames e outros. O contador explica: “Ao final, a pessoa de renda mais baixa poderá até ter valores a receber”.

Sindicalismo – A redução do imposto sobre salários é reivindicação unitária do movimento sindical. A meta do sindicalismo é isentar quem ganha até R$ 5 mil.

MAISClique aqui e leia a MP 1.206/24 na íntegra.

Conteúdo Relacionado

Cesta básica sobe, mostra o Dieese

Pesquisa mensal do Dieese apura que em maio o valor do conjunto de alimentos básicos aumentou em 11 das 17 Capitais. A Pesquisa Nacional...

Sindicato de Niterói firma aditivo com avanços

Mais uma vitória para uma grande parcela de frentistas no Estado do Rio de Janeiro. Desta vez, de Araruama, Cachoeira de Macacu, Guapimirim, Iguaba...

Miguel da Força defende democracia e inclusão

Na quarta (12), Miguel Torres falou em nome do sindicalismo nacional e da classe trabalhadora na Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra,...

CUT debate os impactos dos parques eólicos para a classe trabalhadora

A CUT debateu nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12) em Natal, no Rio Grande do Norte, os impactos dos parques eólicos nas comunidades locais,...

Químicos de Rio Claro fazem Curso de Fortalecimento da CIPA

O Sindicato dos Químicos de Rio Claro e Região, em parceria com o DIESAT e com o apoio da FEQUIMFAR, realiza entre os dias 10...