Nós temos lado! – por Josinaldo Barros

0
247
juros altos
Josinaldo José de Barros (Cabeça), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região

Sindicato tem partido? Não.Mas Sindicato tem lado. É o lado do trabalhador, de quem acorda cedo, pega transporte ruim, ganha mal e muitas vezes trabalha em locais inseguros e insalubres.

Portanto, numa eleição presidencial não tem como nossos diretores ficarem omissos. Ao contrário. Os dirigentes estão indo a fábricas dialogar com a categoria e distribuir boletim das Centrais Sindicais, que denuncia os ataques de Bolsonaro a nossos direitos e alerta pra ameaças futuras.

Bolsonaro não liga pro pobre. Esse Auxílio de R$ 600,00 só saiu porque o sindicalismo e os partidos de oposição pressionaram. Ele queria pagar R$ 200,00. Mas nós conseguimos R$ 600,00 junto ao então presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Bolsonaro não deu até hoje um único centavo de aumento ao salário mínimo. Pior: no primeiro ano, ele teve o desplante de cortar R$ 6,00, prejudicando 36 milhões de brasileiros cuja renda é um Piso miserável de R$ 1.212,00.

Seu governo facilita a destruição da Amazônia e do Pantanal, queimando também a imagem do Brasil no Exterior. Ele não reprime os garimpos ilegais nas terras indígenas, que envenenam os rios com mercúrio. Faz vistas grossas aos madeireiros. Bajula o agronegócio, mas despreza a agricultura familiar.

Mas qual a maior maldade de Bolsonaro contra o trabalhador? A reforma da Previdência. Essa reforma elevou o tempo de contribuição do homem e da mulher, aumentou a idade pra pessoa se aposentar – milhões terão aposentadoria retardada em vários anos. Mais: mudou a média, achatando os valores dos benefícios.

E na Pandemia? Bolsonaro foi desumano e cínico. Disse que era gripezinha. Retardou a compra de vacina, desestimulou a população a se vacinar, o que elevou em dezenas de milhares o número de mortos pela Covid-19.

E nunca disse uma palavra de consolo às famílias.

O problema é que tem mais maldade por aí. Pra facilitar o lado do capital, ele quer mexer no Fundo de Garantia com Medida Provisória que reduz o recolhimento do FGTS de 8% pra 2% e corta a multa de 40% pela metade quando houver demissão. E ele só recuou dessas maldades porque iria perder muito voto.

Pergunto: tem como o trabalhador apoiar um sujeito desses? Não dá. Bolsonaro é tão ruim que nem o presidente dos Estados Unidos e o Papa querem saber dele.

Liberdade – Frente a tudo isso, pedimos ao trabalhador que não deixe de votar dia 30 e peça a seus familiares que votem também. Vote em que não vai te apunhalar.

Assédio – Tem empresa e chefete fazendo pressão pra que o empregado vote no Bolsonaro. Mas assédio é crime e você deve denunciar ao Sindicato ou ao Ministério Público do Trabalho.

O patrão vote em quem ele quiser. Porém, querer mandar no voto do funcionário é imoral e ilegal. O Sindicato não vai aceitar calado. Onde houver esse problema, nós vamos denunciar à Justica!

Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.
Email – [email protected]
Site – www.metalurgico.org.br

Clique aqui e leia mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui