23.8 C
São Paulo
terça-feira, 18/06/2024

Lula criou 923.732 empregos metalúrgicos

Data:

Compartilhe:

Em oito anos de mandato, e mesmo acossado pela crise do subprime, que explodiu nos Estados Unidos em 2008, o governo Lula fez o País crescer e gerar empregos. Só no setor metalúrgico foram 923.732 postos de trabalho com Carteira assinada. Média de novos 115.467 empregos metalúrgicos por ano.

Os números são oficiais, informa o economista do Dieese e professor universitário Rodolfo Viana. Ele acrescenta: “No setor metalúrgico, principalmente nas montadoras, cada emprego gerado pode ser multiplicado por três outras vagas abertas”.

A geração de vagas beneficiou também quem já estava empregado. Rodolfo explica: “Pra manter seus quadros, as empresas tiveram que fazer equiparações salariais ou implantar planos de carreira. Isso melhorou as condições salariais e de trabalho dos já empregados”.

A ampliação do emprego metalúrgico, que ocorreu também em outros setores, tem explicação no modelo econômico desenvolvimentista e em outras políticas de governo. “Iniciativas como o Bolsa-Família e a política de aumento real do salário mínimo aqueceram o mercado interno, gerando compras, negócios e encomendas”, avalia o economista.

RENDA – O aumento do emprego também propicia elevação de renda, até porque a demanda fortalece o poder de negociação dos Sindicatos. Um exemplo disso são os metalúrgicos da Força Sindical do Estado de São Paulo – eram cerca de 800 mil contra os 600 mil e poucos de hoje.

“Esse grupo obteve 23,2% de aumento sobre o INPC nos oito anos do governo Lula, levando-se em conta os acordos nas Convenções Coletivas”, informa Rodolfo Viana. Nos três anos de Bolsonaro, a categoria metalúrgica conseguiu apenas 0,4% acima da inflação.

PLR – A economia aquecida possibilitou a ampliação dos acordos de PLR (Participação nos Lucros e/ou Resultados) da empresa. Com a maré alta da economia, os Sindicatos também conseguiram negociar valores maiores na PLR e melhores condições nos seus planos de meta.

MAIS – Rodolfo Viana: 2463.5300. E-mail: rodolfo@dieese.org.br

LEIA TAMBÉM:

AUDIOVISUAL LUTA CONTRA DESMANCHE

COMERCIÁRIA DE SP FARÁ MAMOGRAFIA GRÁTIS

GIGANTE TÊXTIL ACUSADA DE ASSÉDIO ELEITORAL

Conteúdo Relacionado

Metalúrgicos de Catalão conquistam avanços

Depois de muita negociação, terminou com boas notícias a Campanha Salarial 2024/2025 da John Deere, no Catalão, em Goiás. Os metalúrgicos conseguiram conquistar reajuste...

Cesta básica sobe, mostra o Dieese

Pesquisa mensal do Dieese apura que em maio o valor do conjunto de alimentos básicos aumentou em 11 das 17 Capitais. A Pesquisa Nacional...

Sindicato de Niterói firma aditivo com avanços

Mais uma vitória para uma grande parcela de frentistas no Estado do Rio de Janeiro. Desta vez, de Araruama, Cachoeira de Macacu, Guapimirim, Iguaba...

Miguel da Força defende democracia e inclusão

Na quarta (12), Miguel Torres falou em nome do sindicalismo nacional e da classe trabalhadora na Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra,...

CUT debate os impactos dos parques eólicos para a classe trabalhadora

A CUT debateu nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12) em Natal, no Rio Grande do Norte, os impactos dos parques eólicos nas comunidades locais,...