A Nova Central Sindical de Trabalhadores assina as duas Cartas pró-democracia e tem participado das articulações e atos em defesa do Estado de Direito. Nesta quinta, 11 de agosto, a entidade estará no Largo São Francisco, SP, onde as duas Cartas serão oficialmente lidas e lançadas.

O professor Oswaldo Augusto de Barros defende essas iniciativas. “O sindicalismo precisa se articular com amplos setores da sociedade. Foi assim que fizemos nas Diretas-Já, gerando um movimento poderoso contra o regime de arbítrio”, ele comenta.

Para o dirigente da Nova Central, “essas iniciativas todas mostram o repúdio da sociedade às falas abusivas do presidente da República e também quanto às suas insinuações antidemocráticas”. Mas não bastam, ele observa.

Fome – Oswaldo Augusto de Barros diz: “Precisamos olhar a realidade ao nosso redor. Há fome em larga escala no País. As pessoas não estão buscando comida do lixo; esses brasileiros estão brigando pelos restos que o lixo possa conter”.

Para o dirigente da Nova Central, a democracia não pode ser um conceito meramente abstrato. O professor diz: “Só entendo democracia acompanhada de justiça social. Ou seja, emprego, renda, dignidade e fome de jeito nenhum.”

MAIS – Site da Nova Central.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui