SindForte chega aos 32 anos

0
69
Protesto em Campinas contra violência e ataques

Era um sábado de manhã, em 16 de fevereiro de 1992, na Liberdade, São Paulo, quando a assembleia decidiu pela fundação do SindForte (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Valores e Escolta Armada do Estado de São Paulo).

Até então, todos integravam o segmento patrimonial.

Na época, os brasileiros viviam sob inflação galopante, que só veio a ser controlada em 1994 com o Plano Real, no final do governo Itamar Franco e início da gestão de Fernando Henrique.

Sérgio Bergamaschi e dr. Argeu, ícones da categoria

Vivíamos, portanto, uma época de aperto e a vinculação à vigilância patrimonial agravava o arrocho.

A criação do SindForte, em 1992, inaugurou uma era de avanços e conquistas: nos salários, Pisos, tíquete-refeição, Adicional de Risco de Vida (depois, Periculosidade), reblindagem dos veículos e em muitas outras áreas.

No ano de 2000, após muita luta e greve, a entidade passou a representar também a escolta armada, para a qual o Sindicato legou Piso, tíquete-refeição, melhorias e uma Convenção Coletiva que garante direitos.

No plano patrimonial, o SindForte saiu de uma sala emprestada na Praça da Sé e tem hoje sede própria em São Paulo, subsede em Campinas e duas belas Colônias de Férias em Bertioga.

A categoria tem tudo o que precisa? Claro que não. Mas os avanços são concretos. A categoria dispõe hoje de um Sindicato ativo em todo o Estado. O SindForte também presta assistência em várias áreas, principalmente na jurídica.

De 1992 para cá, muita coisa mudou, no mundo, nas leis trabalhistas, na Previdência, nos governos, na economia, no mercado das empresas e também no de trabalho.

Mas o SindForte avançou, em linha reta: na defesa do emprego, dos salários, dos direitos, da saúde, contra os abusos patronais e em prol da dignidade humana e profissional.

Presidente – João Passos, presidente do Sindicato e funcionário da Protege, afirma: “Somos gratos às gerações anteriores, aos diretores atuais e antigos e nossos funcionários. Mas somos gratos principalmente à categoria”.

João faz um chamado especial aos jovens e às mulheres da categoria para que participem do Sindicato, fortalecendo a luta por emprego, renda e direitos.

MAIS – Site do SindForte – www.sindforte.org.br

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui