Os trabalhadores dos Correios seguem mobilizados na campanha salarial deste ano. Na reunião ocorrida, dia 12 de julho, a categoria rechaçou o reajuste de 2% proposto pela direção da empresa.

Agora, na última reunião, dia 20, entre sindicalistas e cúpula da ECT, a proposta foi reajustar em 90% da inflação na data-base, 1º de agosto. Assembleias conduzidas pelos Sindicatos de cada região rejeitaram novamente a proposta e aprovaram atos de protesto em todo o País.

Para o presidente do Sindicato do Rio (Sintect-RJ), Marco Sant’aguida, a direção dos Correios se mostra intransigente. “A proposta dos 90% representa redução salarial diante da inflação. Os prepostos da ECT sequer aceitaram ouvir as reivindicações. Agora, vamos fortalecer o movimento por reajuste e recuperação dos direitos que foram retirados”, afirma.

SP – Assembleia, além de reprovar a proposta patronal, decretou Estado de Greve. Segundo o diretor do Sintect-SP, Douglas Melo, a direção dos Correios segue com ataques à categoria.

“Querem piorar várias cláusulas do Acordo Coletivo e também reduzir o plano de saúde. Decretamos Estado de Greve pra forçar uma proposta que atenda minimamente a categoria”, explica.

ATO – Sexta (28), Sindicatos filiados à Federação (Fentect/CUT) farão atos presenciais e nas redes sociais. A união dos trabalhadores é nacional. A palavra de ordem é: se a empresa não negociar, os Correios vão parar.

MAIS – Sites do Sintect-RJ, Sintect-SP, Findect e Fentect.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui