13.2 C
São Paulo
domingo, 21/07/2024

Vitória maiúscula

Data:

Compartilhe:

A maior vitória sindical do povo brasileiro no século XXI (e chego a dizer, a maior vitória sindical no mundo inteiro) foi a política de valorização do salário mínimo que quase dobrou seu poder de compra.

Com a persistência das dez marchas das Centrais Sindicais à Brasília, a clarividência do Dieese, as negociações no governo Lula e as legislações no governo Dilma, a política nacional de valorização do salário mínimo firmou-se e garantiu efeitos positivos em toda a sociedade, para benefício de milhões de trabalhadores e trabalhadoras e para a economia, exorcizando os fantasmas alardeados por seus adversários.

O governo Bolsonaro cancelou esta conquista, recusando-se a admiti-la como política de Estado.

Agora, com a realização prevista da Conclat 2022, o movimento sindical retoma esta reivindicação, colocando-a como o segundo item da Pauta Nacional da Classe Trabalhadora, precedida apenas pela continuidade da luta contra a Covid e pelo fortalecimento do SUS e da Anvisa.

Em vários estados e em inúmeras categorias esta reivindicação comparece nas discussões, elaborações e moções enviadas à comissão organizadora da Conclat 2022, associada às reivindicações locais dos pisos salariais regionais.

Cito como exemplo o Paraná, onde uma articulação unitária das Centrais Sindicais, em apoio à candidatura de Roberto Requião ao governo do estado, apresentou a ele uma pauta estadual em que tem força a reivindicação do piso regional compatível com os valores praticados quando ele foi governador.

A luta para a garantia de uma política nacional e de Estado para a valorização do salário mínimo é essencial e pode, dependendo do resultado das eleições de 2022, confirmar a nova vitória sindical maiúscula dos trabalhadores e das trabalhadoras do Brasil.

Clique aqui e leia mais artigos de João Guilherme Vargas Netto.

Conteúdo Relacionado

Mobilização nacional pela redução das taxas de juros – Adilson Araújo

CTB na luta pela redução da taxa de jurosAproxima-se a data definida pelas centrais sindicais para a realização de uma manifestação nacional pela redução...

Morrer pobre não é opção: é uma imposição! – Eduardo Annunciato Chicão

Quantas pessoas você conhece que querem morrer pobres? Mesmo alguém mais simples, com pouca ou nenhuma escolaridade, que não foi dominado pela ambição materialista...

Debate sobre financiamento da Previdência Social não pode ser de cima para baixo – Milton Cavalo

Uma conversa entre o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o senador do Distrito Federal, Izalci Lucas (PL), durante a última sessão ordinária da...

O bolsonarismo define estratégia para 2026: o Senado Federal – Marcos Verlaine,

Como o principal líder do bolsonarismo — apelido dado à extrema-direita brasileira — está inelegível até 2030 — esse segmento político, que até 2013...

O papel social do esporte -Ricardo Pereira de Oliveira

Um problema antigo no Brasil é a falta de continuidade nos projetos, obras ou iniciativas que dão certo.Por isso, considero um tremendo êxito o...