21.9 C
São Paulo
quarta-feira, 12/06/2024

Viva o 1º de Maio!

Data:

Compartilhe:

A única grande data internacional de comemoração é o 1º de Maio, como nos ensinou José Luiz Del Roio. As outras têm diferenças de calendário ou de religião.

Com exceção dos Estados Unidos – país isolado em sua discriminação à data – o mundo inteiro comemora o Dia do Trabalhador ou o Dia do Trabalho.

O 1º de Maio reavivou raízes europeias seculares de comemoração e, denunciando massacres, associou-se durante muitos anos à luta pela jornada de trabalho de oito horas diárias. O 1º de Maio, antes de ser data comemorativa, foi ocasião de luta, de reivindicações, de organização dos trabalhadores e de repressão – há muito sangue nesta história.

No Brasil as comemorações do 1º de Maio são marcadores das lutas sociais e da evolução crescente da participação dos trabalhadores na História nacional. O Estado incorporou-as em suas determinações e fez do 1º de Maio um dia feriado.

Mas a chave original se manteve e nos anos mais recentes as centrais sindicais unidas conseguiram realizar, enfrentando a pandemia que assolava o país e as dificuldades das conjunturas adversas, comemorações virtuais que garantiram a relevância do movimento sindical.

Este ano, reforçadas pela pauta da classe trabalhadora – Emprego, Direitos, Democracia e Vida – que foi aprovada na CONCLAT 2022 as direções sindicais comemoram a data com manifestações em todo o país, com destaque para a do Pacaembu em São Paulo, no Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro e a Metalfest no Paraná apelando à unidade dos trabalhadores e das trabalhadoras, ao espírito de resistência com ações concretas contra a carestia e à defesa intransigente da democracia e das eleições contra as provocações continuadamente urdidas e perpetradas pelo presidente da República e seus acólitos.

Clique aqui e leia mais artigos de João Guilherme Vargas Netto.

João Guilherme
João Guilherme
Consultor sindical e membro do Diap. E-mail joguvane@uol.co.br

Conteúdo Relacionado

O capital quer sindicatos sem dinheiro e trabalho infantil – Marcos Verlaine

Se depender dos patrões, do chamado mercado e do capital, os sindicatos no Brasil serão asfixiados financeiramente e morrerão à míngua. Isto de 1...

A privatização no Brasil – Paulo Henrique Viana

Os pontos negativos da privatização no Brasil Um dos principais argumentos contra a privatização é a questão da acessibilidade. Quando serviços públicos essenciais, como energia,...

Ação sindical em defesa dos engenheiros – Murilo Pinheiro

Campanhas salariais 2024, que abrangem mais de 100 mil profissionais, seguem a todo vapor. Mobilização e participação efetiva da categoria é essencial para reforçar...

Defendemos a criação de um programa emergencial robusto – Nilton Neco

Nesta quinta-feira (06) o Governo Federal anunciou a medida provisória que concede dois salários mínimos para os trabalhadores afetados pelas enchentes, se mostrando mais...

Luta dos trabalhadores da enfermagem merece solidariedade do brasileiro – Adilson Araújo

Não é novidade para ninguém que no Brasil os salários atribuídos à classe trabalhadora são miseravelmente baixos, o que faz da sobrevivência uma ginástica...