#600peloBrasil

0
679

A Covid-19 já provocou mais de 126 mil mortes (dados de 5.9.2020) e escancarou os problemas que continuam atingindo milhões de brasileiros. Entre eles: o déficit habitacional, a ausência de saneamento básico, a falta de acesso à água tratada e a extrema desigualdade regional e de renda, agravada pelo desemprego, pela sub-ocupação e pelo desalento.

É neste contexto que o Auxílio Emergencial se torna crucial para cerca de 60 milhões de brasileiros que, por estarem desempregados ou impedidos de realizarem os trabalhos que lhes provêm o sustento do dia a dia, necessitam destes recursos para sobrevivência.

Não podemos deixar que prevaleça a medida provisória do governo que reduziu pela metade o Auxílio Emergencial. Vale lembrar que o governo desde o início da pandemia nunca quis adotar o valor que reivindicamos. Os R$ 600,00 foram uma conquista das Centrais Sindicais junto ao Congresso Nacional e contribuíram para amenizar os efeitos da recessão.

Garantem renda básica para milhões de brasileiros, consumo, geração de faturamento, emprego e renda (por exemplo: nos setores beneficiados pelo aumento da demanda por alimentos e bebidas) e aumento da arrecadação decorrente da atividade econômica para o próprio Estado brasileiro.

Vamos intensificar esta luta, enviando mensagens aos representantes políticos de todo o País, sensibilizando-os pela continuidade do programa do auxílio emergencial de R$ 600, no mínimo, até dezembro.

Nenhum real a menos! A luta faz a Lei!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui