Luta dos Carteiros recupera direitos e obtém aumento salarial

0
188
correios

Com grande participação dos trabalhadores dos Correios, assembleia de 21/9 aprovou proposta reapresentada pela ECT, firmando o Acordo Coletivo de Trabalho.

Também aprovado estado de greve pra garantir o compromisso assumido pela empresa, com o Sindicato, de efetuar mudanças no compartilhamento do plano de saúde.

Líder – O presidente do Sintect-SP, Elias Diviza, expôs à assembleia o processo de negociação e destacou os resultados alcançados. Em anos anteriores, governo e ECT não dialogavam com as entidades de classe.

Dessa vez, o presidente da empresa, Fabiano Silva, participou de todas as rodadas.

O acordo aprovado foi uma construção coletiva do Sintect-SP, da Findect e das demais representações sindicais e teve o reforço essencial da disposição de luta da categoria.

Diretoria, o Jurídico do Sindicato e da Federação fizeram análise detalhada da minuta apresentada pela empresa, pra sanar dúvidas, inclusive em reunião com o presidente da ECT.

Os principais pontos são:

  • O Tíquete-Peru será pago cinco dias após a assinatura do acordo coletivo. Valor: R$ 1 mil.
  • Reajuste de 3,53% nos tíquetes e em todos os benefícios, reposição da inflação do período e retroativo a 1º de agosto.
  • Em 2 de janeiro, os trabalhadores receberão R$ 1,5 mil referentes ao retroativo entre agosto e dezembro, além do correspondente à parcela do 13º salário.
  • Aumento real linear de R$ 250,00 a partir de janeiro pra quem ganha até R$ 7 mil, e 3,53% pra quem recebe acima de R$ 7 mil.
  • Esse aumento será pago mensalmente a partir de janeiro de 2024, representando reajuste acima da inflação para a maioria.
  • Além dos R$ 1,5 mil, o trabalhador receberá em janeiro os R$ 250,00 que serão pagos em uma rubrica específica no holerite, com reflexos em todas as verbas que compõem o salário. “São ganhos efetivos aos trabalhadores”, ressalta Diviza.
  • Também retornam cláusulas importantes, tais como o pagamento dos 200% no repouso trabalhado e parcelamento do adiantamento das férias.
  • Pagamento do tíquete nos primeiros 90 dias de afastamento pelo INSS.
  • Retorno do abono-acompanhante de seis dias ou 12 períodos.

A ECT garantiu que a incorporação definitiva do aumento de R$ 250,00 ao salário-base ocorrerá até julho de 2024.

Convênio médico – Foi um dos itens discutidos com o presidente dos Correios pra esclarecer o que será assumido na proposta e está registrado em ata.

Na reunião, dia 18, com o Sintect-SP e a Findect, o presidente da ECT assumiu em ata implantar até janeiro as mudanças na coparticipação, reduzindo de 30% pra 15%. Ou seja, 50% a menos do que é cobrado atualmente.

Além da exclusão para a base de cálculo das mensalidades das rubricas: trabalho aos finais de semana, horas extras e trabalho aos domingos e feriados, bem como a isenção da coparticipação para tratamentos complexos e homecare. Será formada comissão permanente de negociação pra debater melhorias no plano.

Dieese – Oportuno realizar a assembleia 21/9, pois o Sindicato teve tempo pra analisar a proposta, com  suporte do Jurídico e do Dieese.

Cláusulas – A proposta aprovada mantém 37 cláusulas, reintegra 30 outras e inclui 11 novas cláusulas, totalizando 78. Lembrando que, em 2020, mais de 50 cláusulas foram retiradas por Bolsonaro.

MAIS – Acesse os sites: Sintect-SP e Findect.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui