O governo encolheu o orçamento do programa habitacional Casa Verde e Amarela. O programa diminuiu o orçamento de R$ 1,5 bilhão, em agosto de 2020, para R$ 27 milhões em 2021.

Vale lembrar que a média de investimentos com programas habitacionais, especialmente o Minha Casa Minha Vida, foi de R$ 11,3 bilhões ao ano. Para critérios de comparação, em 2021, o gasto do Casa Verde e Amarela não atingiu 10% destes valores até outubro.

Os dados são do estudo Impactos Econômicos do programa Casa Verde Amarela em 2021, realizado pelo Dieese e Fundação Friedrich Ebert Stiftung Brasil, além do Sindicato Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira, Fetraconspar e Contricom.

Segundo os pesquisadores, o programa não teve os investimentos necessários após 2018, com o fim do Minha Casa Minha Vida. Com isso, deixou de criar 365.040 ocupações, além de ter deixado de arrecadar R$ 2,8 bilhões em impostos.

Isso impediu também o crescimento do valor adicionado da economia brasileira em R$ 16,2 bilhões, impediu o crescimento da massa salarial em R$ 5,7 bilhões e deixou de arrecadar R$ 1,2 bilhão para a Previdência Social e ao Fundo de Garantia.

O corte do investimento no Casa Verde Amarela repercute diretamente no mercado de trabalho, deixando de gerar emprego direto e indireto, bem como deixa de gerar renda. Além disso, o combate ao déficit habitacional fica mais fragilizado com esses cortes.

MAIS – Clique aqui e acesse o estudo completo.

*Com informações da Rede Brasil Atual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui