Centrais repudiam golpismo de Bolsonaro e chamam trabalhadores a resistir

0
363
Bolsonaro atenta contra a democracia ao incentivar atos em favor do militarismo

Em Nota, as Centrais Sindicais repudiam posicionamento de Jair Bolsonaro em discurso para apoiadores do golpe, domingo (19), em Brasília.

As Centrais Sindicais abaixo-assinadas repudiam a escalada golpista liderada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Sua participação em um ato pela volta do AI-5, fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, e pela ruptura da ordem democrática, assegurada na Constituição de 1988, foi mais um episódio grotesco dessa escalada.

Isolado e crescentemente descontrolado que está, provocou, novamente, o seu show de horrores em relação ao necessário isolamento social e de bravatas que afrontam a democracia e colocam o País numa situação ainda mais dramática diante da pandemia que nos assola e que já conta mais de 30 mil contaminados e nos aproxima dos três mil mortos.

Seguindo o mau exemplo de Bolsonaro, atos semelhantes ocorreram hoje em diversas cidades brasileiras, mesmo em meio à quarentena para prevenção da disseminação do coronavírus.

Bolsonaro mais uma vez testa os limites do seu cargo e os limites das instituições democráticas. Ele avança, com suas extravagâncias, onde não encontra resistência. Se a resistência não vier, até onde irá a irresponsabilidade do presidente? Onde vamos parar? Uma contundente resposta faz-se urgente e necessária.

Importante frisar que, além de sua postura irresponsável, ele nada oferece aos trabalhadores. A dura realidade do Brasil de Bolsonaro é que os brasileiros, que já vêm sofrendo perdas de direitos desde 2017, agora sofrem redução salarial de 30% por conta das medidas de suspensão do contrato de trabalho e redução de salário, instituídas pela MP 936.

Neste grave contexto as Centrais chamam os líderes políticos e da sociedade civil, os representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário, das instituições, bem como a todos os democratas, a cerrar fileiras na defesa da Democracia para barrar os planos do atual Presidente de impor um regime autoritário e repressivo.

Não ao golpe de Bolsonaro!
Viva a Democracia!
São Paulo, 19 de abril de 2020
Sérgio Nobre – Presidente da CUT;
Miguel Torres – Presidente da Força Sindical;
Ricardo Patah – Presidente da UGT;
Adilson Araújo – Presidente da CTB;
José Calixto Ramos – Presidente da NCST;
Antonio Neto – Presidente da CSB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui