Conquistar e preservar – Josinaldo José de Barros

0
96
Na vida sindical e na vida pessoal as mudanças costumam ser gradativas. Por isso, os ganhos e avanços tendem a ser cumulativos. Portanto, da nossa parte, devemos procurar manter esses ganhos, pra que eles se incorporem em definitivo nas nossas vidas.
Segunda-feira, 20, marcou o Dia Nacional da Consciência Negra. A data reverencia Zumbi dos Palmares e todos os que lutaram contra a escravidão. Esse Dia também chama nossa atenção para a necessidade permanente do combate a todas as formas de racismo.
A história registra que o Brasil manteve escravos por 388 anos, trabalhando na mineração, lavouras e em outros serviços pesados. As condições eram desumanas. O tratamento dispensado era humilhante. O negro era apenas um objeto nas mãos de seu dono e senhor, que até registrava em cartório escritura de sua propriedade.
Não há dúvida que essa exploração violenta dos negros buscados na África ainda está na base de muitas fortunas nacionais. E que muitos herdeiros desses senhores de escravos ocupam hoje altas posições na Câmara, Senado, Assembleias Legislativas e em outros pontos-chave do Estado brasileiro.
Essa elite selvagem tenta conservar seus privilégios. Mas nós, na vida pessoal ou sindical, temos que lutar pra manter direitos, ampliar direitos e fazer com que respeitem nossos direitos. Por isso, datas como o Dia Nacional da Consciência Negra são tão simbólicas e importantes.
Quero registrar aqui recente Medida do Ministério do Trabalho – a Portaria 3.665/23 – com repercussão em todo o País. Por que ela é importante? Porque regula o trabalho em domingos e feriados. A Portaria restabelece a obrigatoriedade da negociação sindical pra normatizar o trabalho nesses dias, que, habitualmente, seriam de folgas.
Todos os 12 milhões de comerciários serão beneficiados. A proteção engloba também os trabalhadores em serviços e quem integra setores da indústria onde o trabalho contínuo se faz necessário – petroleiros, eletricitários, construção pesada e outros.
Saúdo o ministro Luiz Marinho, titular do Trabalho e Emprego. Estou certo de que ele publicou a Portaria a fim de reequilibrar as relações capital-trabalho e valorizar a negociação coletiva com as entidades sindicais.
FUTSAL – Domingo de manhã, dia 26, acontece a final do Campeonato de Futsal Metalúrgico, na quadra do ginásio poliesportivo, no Clube de Campo, Parque Primavera, Guarulhos. Convido a família metalúrgica a prestigiar o esporte da categoria.
Observe que a estrutura de lazer nas cidades costuma ser ruim, principalmente em Guarulhos. Ginásios são abandonados, praças ficam cheias de mato e parques não recebem manutenção. Isso não significa apenas má gestão. Significa, na prática, negar um direito. Qual direito? O direito ao lazer.
O lazer é mais um direito que o Sindicato propicia a você, trabalhador e trabalhadora.

Josinaldo José de Barros (Cabeça),
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.
Diretoria Metalúrgicos em Ação.

E-mail: [email protected]
Facebook: /josinaldo.cabeca.1

Clique aqui e leia mais opiniões

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui