23.4 C
São Paulo
sábado, 15/06/2024

Presidente da CTB diz que Central crescerá mais

Data:

Compartilhe:

“O Sindicato é primordial na vida do trabalhador e da família. Se eu estivesse, agora, numa porta de fábrica, diria isso aos companheiros. E reforçaria que o trabalhador deve buscar sempre o Sindicato, porque será amparado”.

A fala é de Adilson Araújo, bancário que preside a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil. A entidade cresce e seu presidente acredita que a coerência, “definida em nossa Carta de Princípios”, é uma das alavancas desse crescimento.

Números – O Cadastro Nacional de Entidades Sindicais do Ministério do Trabalho e Emprego mostra a CTB como a segunda Central mais representativa – 1.650.159 trabalhadores sindicalizados, numa base composta por 964 entidades regularizadas no Ministério. 

Mas, segundo a entidade, os filiados já superam 1.400 entidades – falta apenas regularizar junto ao MTE. Adilson observa que o número de sindicalizados (com base no CNES) equivale a 8,69% do total nacional – por esse quesito, a CTB é a segunda. A CUT lidera, com 30,02% dos sindicalizados.

Critério – Quem define a sindicalização como item de representatividade é a Lei 11.648/2008, que concedeu status sindical às Centrais. Até então, a estrutura se assentava no padrão Sindicato-Federação-Confederação, conforme o Artigo 8º da Constituição. Para a CTB, “sistema fundamental até hoje”.

Dados – A Lei 11.648 prevê reconhecimento das Centrais que possuam, dentre outros quesitos, percentual mínimo de 7% de sindicalizados às entidades filiadas. Hoje, seis alcançam a meta: CUT, CTB, UGT, Força, CSB e Nova Central. Ao Ministério do Trabalho cabe aferir e publicar o índice de representatividade segundo os percentuais de sindicalização. A última aferição é de 2016.

Origem – A CTB foi fundada em 2007. “Já temos presença em todos os Estados e Distrito Federal”, diz o presidente Adilson Araújo. Ele aponta a atuação da Central nas lutas sociais e de resistência como um dos fatores do crescimento contínuo. Uma trincheira atual é a luta contra a privatização da Sabesp, liderada pelo Sintaema, Sindicato cetebista. Adilson afirma: “Onde tem luta popular tremula a bandeira da CTB”

MAISSite da CTB.

Conteúdo Relacionado

Cesta básica sobe, mostra o Dieese

Pesquisa mensal do Dieese apura que em maio o valor do conjunto de alimentos básicos aumentou em 11 das 17 Capitais. A Pesquisa Nacional...

Sindicato de Niterói firma aditivo com avanços

Mais uma vitória para uma grande parcela de frentistas no Estado do Rio de Janeiro. Desta vez, de Araruama, Cachoeira de Macacu, Guapimirim, Iguaba...

Miguel da Força defende democracia e inclusão

Na quarta (12), Miguel Torres falou em nome do sindicalismo nacional e da classe trabalhadora na Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra,...

CUT debate os impactos dos parques eólicos para a classe trabalhadora

A CUT debateu nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12) em Natal, no Rio Grande do Norte, os impactos dos parques eólicos nas comunidades locais,...

Químicos de Rio Claro fazem Curso de Fortalecimento da CIPA

O Sindicato dos Químicos de Rio Claro e Região, em parceria com o DIESAT e com o apoio da FEQUIMFAR, realiza entre os dias 10...