Os frentistas do Estado de São Paulo se reúnem nesta quarta (16) com o setor patronal e iniciam a campanha salarial da categoria. Quem informa é o presidente da Federação Estadual (Fepospetro), Luiz Arraes. Data-base é 1º de março.

Segundo Arraes, a reivindicação é pela renovação das cláusulas econômicas e sociais na Convenção Coletiva de Trabalho. “Vamos em busca do aumento do salário, dos tíquetes, na cesta básica, renovação do seguro de vida, proibição de terceirização no setor e outros direitos”, afirma o dirigente.

O presidente da Fepospetro ressalta que a luta desse ano é para recompor as perdas inflacionárias em um momento de crises econômica e social no País. “Os trabalhadores precisam ter o reajuste pra que possam se alimentar melhor e sustentar suas famílias de forma decente”, defende.

Já o presidente do Sindicato dos Frentistas de SP, Rivaldo Morais da Silva, destaca que a omissão do governo faz os trabalhadores lutarem para garantir condições dignas de trabalho e de vida.

“O governo se limitou a jogar o problema sobre os ombros dos trabalhadores, mediante o aumento abusivo dos combustíveis, cujo efeito imediato foi provocar elevação dos preços dos alimentos e a disparada da inflação”, ressalta Rivaldo.

Mulher – Outra importante frente de luta neste ano é o combate ao assédio moral e sexual nos postos de combustíveis. Quem lidera a campanha é a presidente do Sindicato dos Frentistas de Guarulhos, Telma Cardia.

De acordo com a dirigente, as trabalhadoras ainda sofrem com abusos de patrões e de clientes. “É preciso dar um basta. As frentistas não podem mais aceitar caladas essas situações”, reitera Telma. Ela alerta que, caso alguma profissional passe por situações de constrangimento no ambiente de trabalho, deve procurar imediatamente seu Sindicato.

MAIS – Acesse o site da Fepospetro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui