Nesta terça, 1º de dezembro, o jornalista Rubens Valente, do Uol, informou que o governo Bolsonaro gastou R$ 2,7 milhões com empresa de comunicação para monitorar jornalistas e influenciadores digitais. A ação serve para orientar como lidar com um grupo de 81 profissionais.

Na lista, denominada “Mapa de influenciadores”, são sugeridas atitudes que o governo deve tomar a partir da classificação dada aos profissionais de mídia. Os levantamentos podem sugerir “monitoramento preventivo”, “envio de esclarecimentos para eventuais equívocos” ou “propor parceira para divulgar ações”.

Trabalho – A empresa BR+ Comunicação firmou contrato com o Ministério da Economia e analisou postagens feitas no mês de maio de 2020 sobre a própria Pasta e o ministro Paulo Guedes.

Análise – Os jornalistas e influenciadores foram divididos em três grupos: 1) Detratores; 2) Neutros informativos; 3) Favoráveis. O primeiro grupo é o mais numeroso, com 51 nomes.

Lista – Clique aqui e acesse a lista completa divulgada pelo jornalista Rubens Valente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui