Greve nacional nos Correios é aprovada e começa forte

0
693
Sindicatos realizam assembleias presenciais e virtuais na noite desta segunda (17)

Trabalhadores dos Correios de todo o País decretaram, na noite desta segunda (17), paralisação nacional por tempo indeterminado. A greve foi aprovada em 36 regiões e terá início às 22 horas de hoje. Eles lutam contra a retirada de direitos, desmonte da Convenção Coletiva e privatização da empresa.

A greve deve começar forte. porque reúne todos os setores, incluindo as chefias, de acordo com líderes sindicais das duas Federações que representam a categoria, a Findect e Fendect.

Elias Cesário, o Diviza, presidente do Sindicato em São Paulo e vice-presidente da Findect, explica que a empresa tenta tirar mais de 70 itens da Convenção Coletiva. Desde 31 de julho, os trabalhadores estão sem cobertura da CCT. Diviza diz: “Cortaram vale-alimentação, tiraram o tíquete das férias e outros direitos. O clima é de revolta geral, inclusive nas chefias”.

Segundo José Rivaldo da Silva, que é secretário-geral da Fentect, os funcionários receberam o contracheque de agosto com descontos indevidos. “Não estamos fazendo uma reivindicação, estamos tentando manter o que a gente já tem há mais de 30 anos”, ele afirma.

Privatização – Além do corte de direitos trabalhistas, a ameaça de privatizar o sistema estimula a paralisação. Os Correios foram incluídos na lista de estatais que o atual governo deseja privatizar. Os conflitos entre a empresa e trabalhadores se intensificam desde então.

Sindicalistas denunciam que para isso há um verdadeiro desmonte em curso, a fim de entregar a ECT a empresas como a Amazon. Diviza alerta: “Quem vai sair perdendo é a população mais pobre. O setor privado só quer saber de obter lucro. Você acha que vão querer entregar em regiões periféricas?”.

MAIS – Acesse os sites da Findect e da Fentect

Matéria atualizada segunda (17), às 21h15.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui