17.2 C
São Paulo
domingo, 21/04/2024

Guti, Guarulhos, ataca empresa e empregos

Data:

Compartilhe:

O sindicalismo brasileiro deveria prestar mais atenção a uma dura luta que ocorre em Guarulhos, segunda cidade do Estado de São Paulo. Basicamente é o seguinte: o prefeito Guti (PSD) tenta fechar a empresa de economia mista Proguaru, que tem 42 anos, cerca de 4,5 mil funcionários e faz a zeladoria da cidade.

A tática de Guti (que se reelegeu prometendo não fechar a empresa – assista vídeo no final dessa matéria) é apertar o garrote e avançar rumo ao fechamento.
A Força Sindical e outras entidades têm combatido a postura do prefeito e mobilizado os cidadãos pró-manutenção da empresa e dos empregos.

Nesta sexta, Guti editou decreto no Diário oficial de “extinção” da empresa. Ela quer deter o crescente desgaste popular e se antecipar a um referendo já encaminhado ao Tribunal Regional Eleitoral.

Nesta sexta, entidades de trabalhadores, vereadores e advogados analisaram o decreto precipitado do prefeito que prometeu e jogou no lixo a sua promessa eleitoral. Segue a Nota:

NOTA DO SINDICALISMO DE GUARULHOS
Decreto que extingue a Proguaru mostra
autoritarismo e desespero do prefeito Guti
Certo de que perde apoio popular, agrava a revolta dos trabalhadores, agrega o sindicalismo contra sua postura, se desgasta perante representantes do Legislativo e confronta órgãos do Judiciário, o prefeito Guti tenta precipitar o fechamento da Proguaru.

Ante esse quadro, ele manda editar decreto no Diário Oficial do Município, sexta, dia 27, cujo artigo 1º não poderia ser mais explícito: “Fica decretada a extinção, dissolução e liquidação da empresa Progresso de Desenvolvimento de Guarulhos, nos termos do Parágrafo 2º, do Artigo 1º, da Lei Municipal 7.879/2020”.

Mais uma vez, o prefeito age de modo autoritário e unilateral, tentando se antecipar a decisões judiciais que poderão mudar o rumo dos acontecimentos.
Com seu decreto precipitado, Guti agrava a angústia entre os empregados da Proguaru e acende o pavio da revolta dos que temem, com razão, ficar sem emprego, sem salário e sem condições de manter a família.

O decreto também demonstra desapreço à vontade popular a ser expressa em referendo previsto em lei, brevemente.
Diante disso, as entidades sindicais vêm orientar:

1) O trabalhador da Proguaru deve se manter sereno e firme, na resistência, em contato com seu Sindicato (Stap), a Comissão de Trabalhadores e também a CEE da Câmara.

2) Saiba o trabalhador que todas as medidas judiciais, em defesa da empresa e dos empregos, estão sendo tomadas.

3) Pedimos aos cidadãos que se engajem nessa luta justa, pois o fim da Proguaru deixará a cidade sem zeladoria, jogará serviços essenciais nas mãos de terceirizadas e prejudicará a qualidade de vida da população.

Certos da justeza de nossa causa, seguiremos firmes, atuando na frente sindical, no Judiciário e com todos os instrumentos legítimos e legais.
Viva a Proguaru! Viva o trabalhador! Abaixo o autoritarismo do prefeito Guti.

Guarulhos, 27 de agosto de 2021.

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Escola do Sinpro SP promove novos cursos

A Escola de Professores do Sinpro SP está com vagas abertas para dois novos cursos neste mês de abril. A programação é voltada para...

Portuários fazem paralisação em 14 portos do país

Trabalhadores portuários de diversas regiões do País fizeram uma paralisação de seis horas na manhã de quinta-feira, 18. A ação abrangeu 14 dos 32...

Sindicalismo mantém ganhos reais elevados

Segue alto o índice dos aumentos reais nas negociações coletivas. A avaliação é do Dieese, que publica o boletim mensal "De Olho nas Negociações". O...

Metalúrgicos de Guarulhos vão inaugurar trilha no Clube de Campo

O Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região é a maior e mais completa área de lazer da cidade. E...

Frentistas do Rio conquistam aumento de 7,3%

Avanços para os 11 mil trabalhadores em postos de combustíveis do Município do Rio de Janeiro. A Comissão de Negociação, que representa os empregados,...