Instituto Lula preserva memória e dialoga com sociedade

0
125

Funciona em São Paulo uma entidade dedicada a preservar a memória de Luiz Inácio Lula da Silva. É o Instituto Lula, que também atua como um centro de debates de temas atuais.

Quem preside o Instituto é a ex-dirigente bancária de SP, Ivone Silva. Ela participou na quinta (17) da live semanal do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região. Mulher, negra e jovem, Ivone tem formação superior em Ciências Sociais e Arquitetura, além de MBA e outras habilidades.

A entidade também publica livros, principalmente no formato e-book, ou seja, para serem lidos no micro ou aparelho celular. Com isso, evita-se gasto com papel. Ivone é a primeira mulher a presidir o Instituto. Ela assume o mandato num momento em que as mulheres retomam a linha de frente das mobilizações e avançam nas conquistas.

Caso, por exemplo da Lei 14.611/2023, que torna obrigatória a igualdade salarial entre homens e mulheres na mesma função.

Outro indicativo da retomadas das lutas femininas é a recente Marcha das Margaridas, que aconteceu em Brasília, dias 15 e 16 deste mês. Cerca de 100 mil mulheres participaram. Muitas são camponesas, pescadoras e extrativistas. O presidente Lula as recebeu e anunciou uma série de medidas, incluindo o reforço à reforma agrária.

Desafios – Ivone Silva disse: “É o momento de provar, ainda mais, nossa capacidade. As mulheres têm voz e queremos sim estar nos cargos mais qualificados”.

Sobre a Lei da Igualdade salarial, a ex-dirigente bancária afirma: “O movimento sindical tem papel relevante nessa luta. Devemos atuar na formação de pessoas para que não prevaleça o ponto de vista machista.”

Sobre o Ministério do Trabalho e Emprego, Ivone aponta que o órgão precisa recuperar a presença nos Estados brasileiros. Ela diz: “O Estado tem papel essencial, por exemplo, na fiscalização trabalhista. O governo anterior desmantelou o Ministério. Precisamos abrir novos concursos”.

Comunicação – Sobre a comunicação do governo Lula com a sociedade, a convidada alerta que forças da direita se apossaram das redes sociais. O Instituto busca se contrapor a isso por meio de suas próprias redes.

Clique aqui para assistir à live completa.

MAIS – Acesse aqui o site do Instituto Lula.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui