26 C
São Paulo
domingo, 19/05/2024

Jornalistas pressionam pelo retorno do diploma

Data:

Compartilhe:

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) fará uma mobilização nas redes sociais na quarta, 24. Objetivo é pressionar pela volta da obrigatoriedade da formação na área para exercer a profissão.

Para participar da agitação, a entidade convoca profissionais da área a irem trabalhar de azul, tirarem fotos e fazer vídeos em seus perfis nas redes sociais marcar a Fenaj e o Sindicato do qual fazem parte.

A estratégia integra o 3º Ocupa Brasília, que ocorre em Brasília, de 23 a 25 de abril. Dirigentes da categoria conversarão com líderes partidários sobre a aprovação da PEC 206/2012, de autoria do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). A Proposta de Emenda Constitucional, na prática, restabelece a exigência de formação em Jornalismo para atuar na profissão.

Como o texto já foi aprovado no Senado, a ideia da categoria é conseguir o máximo de apoio entre os parlamentares para pressionar o presidente da Câmara, Arthur Lira, a colocá-lo na pauta de votação da Casa.

Histórico – A necessidade do diploma para jornalistas foi definido por lei em 1969. Mas em 2009 o Supremo Tribunal Federal derrubou a obrigatoriedade. A justificativa era de que essa imposição cerceava o direito à informação e de liberdade de expressão.

A presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, Samira de Castro, contesta: “É um argumento falacioso, que só serviu para precarizar a profissão. É uma categoria que trabalha com critérios técnicos e éticos, com responsabilidade para lidar com a informação e apurar os fatos.”

Internet – Em tempos de redes sociais, o fim da exigência do diploma trouxe danos à sociedade e é um dos fatores que proporcionam a disseminação das fake News, avalia a dirigente. “Hoje pessoas montam sites e blogs e ainda vão pedir verba pública, mas sem obedecer qualquer diretriz jornalística, sem um profissional formado para responder pelas informações divulgadas”, comenta Samira. “Como vão exigir de alguém assim o sigilo da fonte, prerrogativa legal da profissão?”, questiona a presidente da Fenaj.

MAIS – Redes sociais e sites da Fenaj, CUT e Sindicato dos Jornalistas de SP

Conteúdo Relacionado

Futebol dos Metalúrgicos volta domingo e arrecada para o Rio Grande do Sul

Ganha reforço neste domingo (19) a campanha do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região em prol das vítimas das enchentes do Sul. A...

Cartilha do MPT lista os atos antissindicais

O Ministério Público do Trabalho publicou a cartilha "Atos Antissindicais. O que fazer?". Documento idealizado pela Conalis - Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade...

Centrais farão Plenária

Quarta, 22, as Centrais Sindicais realizarão plenária em Brasília. A parte da manhã será dedicada a debater a Pauta Unitária aprovada na Conclat 2022,...

O Sul precisa de ajuda, diz líder frentista

O Sindicato dos Frentistas do Rio Grande do Sul fica no Centro de Porto Alegre, Capital. Na quarta, 15, às 11h50, a água ainda...

Sinpro Campinas completa 83 anos

quarta, dia 15, o Sinpro Campinas completou 83 anos. Integrante da Federação (Fepesp), a entidade representa o professorado da rede privada, além do Sistema...