25.5 C
São Paulo
terça-feira, 23/04/2024

Petroleiros esperam que STF libere pagamento de R$ 46 bi

Data:

Compartilhe:

Em valores atualizados, Petrobras deve R$ 46 bilhões a 51 mil petroleiros. A empresa foi condenada pelo Tribunal Superior do Trabalho em 2018. A ação questiona a fórmula de cálculo, Remuneração Mínima de Nível e Regime (RMNR) – equivale a um piso salarial, a ser pago para empregados de um mesmo nível e região.

Quanto da sentença pelo TST, a quantia para pagamento retroativo estava em R$ 17 bi. Segundo o Tribunal, os adicionais destinados a remunerar condições especiais de trabalho não estão incluídos no cálculo de complemento salarial. Ou seja, devem ser pagos à parte.

A Petrobras apelou ao Supremo Tribunal Federal. O ministro Alexandre de Moraes ainda não analisou a petição. “Essa lentidão contrasta com a celeridade do Tribunal ao conceder liminar pra paralisar os processos do Brasil inteiro”, reclama o advogado da Federação Única dos Petroleiros, Normando Rodrigues. O STF já proferiu três decisões pró-empresa. As liminares suspendem 45 ações coletivas movidas por Sindicatos e sete mil individuais.

Segundo Adaedson Costa, secretário-geral da Federação Nacional dos Petroleiros, a vitória no TST repara distorção praticada há muito tempo pela Petrobras. “Sempre tentamos negociar em época de discussão do acordo coletivo. Mas nunca houve pela Petrobras boa vontade nesse sentido”, conta o dirigente. Sobre a expectativa junto ao STF, Adaedson afirma: “Pra reparar essa injustiça, o Supremo deve ratificar o que foi decidido pelo TST”.

Mais – Acesse os sites da FNP e da FUP.

Conteúdo Relacionado

Engenheiros abrem campanha salarial

Acontece quarta, 24, o XXIII Seminário sobre Campanhas Salariais do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo. Será no auditório do Seesp, à...

Economista explica melhora na renda

A renda per capita no Brasil bateu recorde de crescimento em 2023. Subiu de R$ 1.658,00 pra R$ 1.848,00, alta de 11,5% em relação...

Sindicalismo perde Chicão

Com imensa tristeza, vimos informar a morte de Francisco Cardoso Filho, Chicão, que presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região de 1987...

Alimentação busca regulamentar custeio sindical

O pedido de isenção da contribuição sindical por parte do trabalhador só pode ser feito antes da assembleia da categoria. Esta é a posição...

Escola do Sinpro SP promove novos cursos

A Escola de Professores do Sinpro SP está com vagas abertas para dois novos cursos neste mês de abril. A programação é voltada para...