Sinesp denuncia plantões impostos a gestores educacionais

0
505
Sinesp afirma que plantões impostos pela SME são descenecessários

O Sindicato dos Especialistas de Educação do do Ensino Público Municipal de São Paulo (Sinesp) tem denunciado os plantões impostos pela Secretaria Municipal de Ensino a gestores educacionais e outros profissionais do setor. A situação afeta em torno de cinco mil profissionais.

À Agência Sindical, Luiz Carlos Ghilardi, presidente do Sindicato, explica que desde a segunda quinzena de março os trabalhadores são obrigados a comparecer a suas Unidades de Trabalho sem necessidade efetiva. “A secretaria não demonstra sensibilidade, nem nas situações envolvendo insegurança e falecimentos de gestores educacionais e outros profissionais de educação que estavam em serviço”.

Segundo o dirigente, o secretário da Pasta propaga inverdades. “Ele alega que os gestores teriam que ir apenas uma vez por semana nas Unidades. Quando, na verdade, a Instrução Normativa impõe plantões diários”.

O professor critica a falta de diálogo por parte da secretaria. “O secretário Bruno Caetano sequer aceita dialogar. Somos informados por meio da imprensa”, conta.

Ante a postura da SME, o Sinesp entrou com ação no Ministério Público do Trabalho. A luta também ganhou apoio de outros Sindicatos do setor educacional e de parlamentares. “O  vereador Eliseu Gabriel, presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal, já manifestou seu apoio e tentou intervir, sem sucesso, junto à Secretaria”.

Outros parlamentares, como o vereador Celso Giannazi, ingressaram com ação junto ao MP.

“Continuaremos pressionando na SME e na Justiça para defender as vidas dos trabalhadores, que estão sendo postas em risco nesses plantões desnecessários. Defendemos que todos estejam em teletrabalho”, completa Ghilardi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui