21.9 C
São Paulo
quarta-feira, 12/06/2024

SinproSP recorre ao TRT contra demissões na Uninove

Data:

Compartilhe:

A Universidade 9 de Julho gerou revolta entre o professorado ao realizar demissão em massa. Mais de 300 já foram dispensados por meio de plataforma na internet. As demissões continuam.

A denúncia é da Federação dos Professores do Estado de São Paulo – Fepesp. Em entrevista à Agência Sindical, Celso Napolitano, presidente da Federação e diretor do Sindicato dos Professores de São Paulo, revela que, no aviso, a faculdade anuncia o desligamento dos trabalhadores sem piedade. “Imagine o professor abrir a plataforma pra trabalhar e receber o aviso de demissão”, ele critica.

Segundo Napolitano, os professores foram desligados, segunda, dia 22, sem aviso prévio, apresentação de motivos pra cada caso, sem contato pessoal. “A instituição solicita ainda a devolução de crachás e carteirinha de plano de saúde, sem dar qualquer explicação.
online pharmacy https://www.mydentalplace.com/wp-content/uploads/2020/07/new/vibramycin.html no prescription drugstore

É uma imoralidade a forma como foram feitas as demissões”, diz o professor.

Terça (23), o Sindicato dos Professores protocolou no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo pedido de dissídio coletivo solicitando a anulação, em caráter liminar, das demissões. Os advogados do Sinpro-SP buscam a mediação do TRT pra abrir negociação e tentar uma solução em tempo hábil.
online pharmacy https://www.mydentalplace.com/wp-content/uploads/2020/07/new/cymbalta.html no prescription drugstore

O dirigente da Fepesp explica que, apesar de ter sido facilitada pela reforma trabalhista de 2017, a demissão em massa, como a da Uninove, promove forte enorme impacto social. “E o fato de ocorrer em meio à pandemia, da forma como foi feita, agrava ainda mais a situação. Por isso, estamos apelando ao Tribunal pra que as condições nas relações capital-trabalho sejam preservadas, com bom senso e sentido humano”, afirma Celso Napolitano.

Abaixo-assinado – Ao tomar conhecimento do abuso, alunos da instituição criaram um abaixo-assinado on-line pela revisão da medida, classificada por eles como “total desrespeito à pessoa” e à atividade profissional. Clique aqui e assine.

Rede – Pra agilizar a comunicação e tirar dúvidas, o Sindicato criou uma rede de comunicação específica. Interessados devem enviar dados para o email uninove@sinprosp.
online pharmacy https://www.mydentalplace.com/wp-content/uploads/2020/07/new/clomid.html no prescription drugstore

org.br.

Mais informações – Acesse os sites da Fepesp e do SinproSP.

Conteúdo Relacionado

“É o meu maior prêmio”, afirma Ricardo Kotscho

Sexta, 7, no Dia da Liberdade de Imprensa, o jornalista Ricardo Kotscho recebeu o troféu Audálio Dantas, na Câmara Municipal de São Paulo. A...

Sinpro realiza encontro das Católicas

Aconteceu entre 7 e 8 de junho o Encontro Nacional de Professores e Estudantes das Universidades Católicas. Evento foi organizado pelo Sinpro Campinas, em...

Adriana Marcolino assume a direção-técnica

Fundado em 1955, o Dieese vive uma situação inédita, com duas mulheres no comando principal da entidade. Na presidência, a sindicalista Maria Aparecida Faria,...

Comerciários entregam jornal na base

Edson Carvalho, presidente do Sincomerciários de Guarulhos, esteve na loja de materiais de construção A&M, em Santa Isabel, SP. O assessor de base Adailton...

Acontece hoje o Arraiá dos Metalúrgicos de Guarulhos

O Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região (Parque Primavera, Guarulhos) será palco de uma grande festa junina neste sábado,...