TCU aguarda plano do INSS para fazer perícia por telemedicina

0
400

Instituto tem até segunda (5) para organizar o atendimento à distância

O TCU (Tribunal de Contas da União) reafirmou sua decisão e aguarda que o INSS elabore, até segunda-feira (5), de protocolo para a realização de perícias médicas por telemedicina, ou seja, pela internet.

Em sua decisão nesta quarta (30), o ministro Bruno Dantas disse que é preciso ter alternativas às perícias presencias, até que o atendimento nas agências seja retomado por completo “para minimizar os transtornos dessa paralisação para a população brasileira mais vulnerável”.

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o INSS afirmam que “estão avaliando a recomendação do TCU, para emitir posicionamento oficial dentro do prazo estabelecido”.

As perícias nas agências do INSS estão retomando de forma gradual, após vistorias do instituto previdenciário e da ANMP (Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais) às unidades para conferir as condições de segurança e de higiene para segurados e profissionais.

Com a maioria das agências fechadas, os peritos continuam atendendo os segurados de forma remota, analisando pedidos e documentos médicos enviados pelo Meu INSS. Se constado o direito ao benefício do INSS, o segurado recebe um valor antecipado, de R$ 600 ou R$ 1.045. No caso de o segurado ter direito a um valor maior, a diferença é paga após a perícia presencial.

O Tribunal espera que o atendimento por telemedicina, que permite ao médico fazer uma consulta à distância, reduza a fila de processos de segurados que aguardam uma perícia. Segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), cerca de 200.000 processos estão paralisados pela ausência de perícias e outras 600.000 requisições administrativas estão na fila.

Em nota, a ANMP chamou de “descabida”, “ilegal, imoral, antiética e impraticável à população carente” a proposta de teleatendimento e afirmou que não há crise no setor.

“Atualmente, a esmagadora maioria de atendimentos represados está relacionada com o
grupo de natureza burocrática-administrativa sob responsabilidade do INSS e, em nada,
tem conexão com a Perícia Médica Federal”, afirma a associação dos peritos.​

Perícia por telemedicina

  • Por meio da tecnologia, como a internet, o médico perito fará o atendimento ao segurado à distância
  • Assim, o segurado não precisa ir a uma agência do INSS
  • O uso da telemedicina chegou a ser autorizado em abril pelo INSS para enfrentar a crise causada pela pandemia da Covid-19, mas nunca foi colocado em prática

Quem precisa passar por perícia

A perícia médica é obrigatória para a concessão ou a prorrogação de benefícios do INSS como:

  • Auxílio-acidente
  • Auxílio-doença
  • BPC (Benefício de Prestação Continuada)
  • Aposentadoria por invalidez

Como agendar a perícia

  • O agendamento está sendo feito pelo telefone 135 e pelo Meu INSS

Antecipação do valor

  • Segurados que precisaram do auxílio-doença durante a pandemia têm direito a uma antecipação do benefício
  • 367 mil pedidos de antecipação do auxílio estão na fila, segundo o INSS
  • A antecipação é de um salário mínimo mensal (R$ 1.045, neste ano) e paga pelo período definido em atestado médico, limitado a 60 dias
  • Caso o período estimado de repouso informado no atestado médico não corresponda a mês completo, o valor antecipado será proporcional ao número dias, na razão de 1/30 do salário mínimo mensal por dia
  • À medida que as agências reabrem, estes segurados terão que passar pela perícia presencial para continuar a receber o benefício
  • O INSS vai convocar quem precisar passar por perícia

Fonte: Agora SP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui