2024: Fortalecer o protagonismo sindical – Miguel Torres

0
97
O movimento sindical começa o ano de 2024 com muitas tarefas e desafios. Em meio ao cenário político e econômico, precisamos unir forças e fortalecer o protagonismo do movimento sindical, sustentado na estratégia da unidade entre as Centrais Sindicais e lastreada na luta, em argumentos técnicos, para ampliarmos os sistemas de trabalho digno e de aposentadoria justa.
Pontos de convergência para a solução das agendas previdenciária e trabalhista são a mobilização e a negociação. Temos de divulgar as nossas propostas, denunciar ataques a direitos e convencer a sociedade, e, portanto, o Congresso Nacional, de que não podemos perder direitos.
Vale ressaltar que todas estas demandas trabalhistas estão sendo encaminhadas, construídas e articuladas pelas centrais sindicais, confederações, federações e sindicatos, que têm um importante papel de defesa dos direitos e interesses dos trabalhadores no Congresso.
Em 2024, a grande tarefa será a de ampliar a mobilização que sustenta as nossas posições e convencer a sociedade e os parlamentares de que nossas propostas são as melhores para o desenvolvimento nacional, como fortalecimento das negociações coletivas, atualização do modelo sindical, financiamento da estrutura sindical, aposentadoria digna, igualdade de salário entre homens e mulheres, marco regulatório para servidor público entre outros.
O fato é que iremos lutar, debater e negociar. Nós representamos a força de trabalho do Brasil e nos faremos ouvir. Nós, trabalhadores, queremos contribuir com o debate necessário para que nosso país seja cada vez mais justo, com trabalho, renda, moradia e transporte dignos.
Quero dedicar a você os melhores votos de um Natal e Ano Novo, repleto de realizações, amor, paz e muito carinho. Desejo que em 2024 nós possamos juntos continuar nossa luta por mais empregos, melhores salários, mais educação e saúde.
A luta faz a lei! Boas Festas! Um excelente 2024!
Miguel Torres – presidente da Força Sindical, Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi e CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos)