Advogada do Sindnapi orienta planejar aposentadoria

0
717

Advogada e professora, Tonia Galleti foi a entrevistada na live de terça (9) da Agência Sindical. Ela responde pelo Jurídico do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sindnapi), da Força Sindical. A entidade cumpre quarentena e estuda se retoma as atividades. Por ora, o Jurídico atua com plantão reduzido de funcionários – a maioria está em home office.

A dra. Tonia recomenda cuidados antes de requerer o benefício e alerta que a revisão só pode ser pleiteada antes da aposentadoria completar 10 anos. “Após esse período, não há o que fazer”, comenta.

Principais trechos:

Aposentadoria – A Previdência é uma questão de toda a sociedade. Quem está na ativa sustenta o sistema pro aposentado usufruir. Todo problema que acontece no mundo do trabalho afeta a Previdência, que vive da arrecadação.

Revisão – Quando a gente se aposenta, é observada toda a vida laboral, para a contagem de tempo e cálculo das contribuições a partir de julho de 1994. Quando o INSS concede o benefício, muitas vezes há erro e prejuízo ao segurado. Isso gera direito a revisão. Mas o prazo pra revisão é de 10 anos. Se passar, o aposentado vai continuar recebendo errado o resto da vida.

Documentos – A gente pensa que não precisa mais de papel. Mas o sistema digital é falho. E, quando se trata do INSS, o nível de falhas é alto. Se eu pegar o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) agora, acho problema. Por isso, a pessoa deve guardar documentação de trabalho, rescisão, holerite, do PIS, crachás e até extrato de conta corrente. Guarde tudo o que puder provar ao INSS que trabalhou na empresa e quanto recebia.

Erros – Os mais comuns são de cálculo e não-inclusão de períodos, como atividade especial ou o serviço militar. O CNIS tem muita informação desencontrada. De cada dez análises, sete possuem erros e três resultam em perdas financeiras ao beneficiário. Por isso, orientamos que a pessoa procure um especialista ou o Sindicato.

Aplicativo – Recomendo ao segurado visitar o aplicativo com frequência e verificar se está correto. Pra acessar o CNIS, baixe o “Meu INSS”. Por ele, se tem acesso a todos os dados da vida laboral. Se houver dificuldade, o Sindicato ajuda. No site do INSS também se acessa o CNIS, pra verificar os dados da empresa, data de início e término do emprego, as contribuições, entre outras informações úteis.

Pandemia – Nesses três meses não entramos com ação coletiva. Mas tocamos os processos em andamento e as orientações, com limitações. Neste momento de distanciamento fica complicado atender pessoalmente.

Contato – A sede do Sindicato está localizada no Centro de SP, à rua do Carmo, 171. Telefone 3293.7500. Você também pode entrar em contato pelo site do Sindnapi ou Facebook.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui