Apuros de Crivella e Damares – Altamiro Borges

0
150

Os dias têm sido infernais pra alguns mercadores da fé. Semana passada, a Justiça Eleitoral decidiu pela cassação e inelegibilidade do deputado federal Marcelo Crivella (Republicanos-RJ). O bispo neopentecostal, sobrinho de Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, também foi multado em R$ 433 mil. No sábado (27), a Federal apreendeu avião com 290 kg de Skank, que pertence à Igreja do Evangelho Quadrangular, chefiada pelo tio da senadora Damares (Republicanos-DF).

No primeiro caso, o deputado ainda pode recorrer da sentença, resultante de ação movida pela coligação “É a vez do povo” (PT/PCdoB), que disputou a prefeitura do Rio de Janeiro em 2020. Ela trata dos “Guardiões do Crivella”, um grupo de milicianos formado quando o pastor era prefeito da cidade e que visava coibir o trabalho de jornalistas em hospitais durante o caos na Pandemia. Marcelo Crivella foi acusado de abuso de autoridade, com o uso de Servidores para montar equipes de jagunços na eleição.

A juíza da 23ª Zona Eleitoral do RJ, Márcia Capanema, usou como base reportagens da TV Globo sobre os grupos de WhatsApp que organizavam assessores da prefeitura. Alguns desses milicianos foram desmascarados em frente às câmeras de tevê pelo uso de violência. Em setembro de 2020, Marcelo Crivella já havia sido preso, mas ficou poucas horas na cadeia. Ele foi acusado pelo Ministério Público de ser o “vértice” do chamado “QG da Propina”, que “aliciava empresários para variados esquemas de corrupção”. Agora, esse novo processo pode levar à cassação do seu mandato e à inelegibilidade.

Quadrangular e o PCC

Já o segundo caso, o do avião com 290 kg de drogas, da Igreja do Evangelho Quadrangular, acaba respingando na senadora Damares Alves, ex-ministra de Bolsonaro. Segundo o site UOL, a aeronave pertence ao tio de “Damares da Goiabeira”, o ex-deputado federal e pastor Josué Bengtson, líder da seita. “A assessoria da senadora confirmou o parentesco por meio de nota. No fim da década de 1990, Damares Alves também trabalhou como auxiliar parlamentar no gabinete do tio… Ela soube do caso pela imprensa e entrou em contato com a família em seguida”, diz a matéria.

Ainda na semana passada, outra notícia gerou desconforto entre os lobistas da fé. O Ministério Público do Rio Grande do Norte revelou “que um núcleo formado por pastores ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) movimentou R$ 206.579.045,28 em 215 contas bancárias de 2 de janeiro de 2003 a 31 de outubro de 2021. Segundo o MP-RN, o chefe do núcleo é Valdeci Alves dos Santos, o Colorido, tido como integrante do alto escalão do PCC. Ele fugiu de um presídio paulista em agosto de 2014, foi capturado em abril de 2022 em Pernambuco e depois removido para a Penitenciária Federal de Brasília”, relata a Folha.

“O MP-RN calcula que ao menos R$ 23 milhões provenientes do tráfico de drogas foram usados pelo núcleo pra abrir sete igrejas evangélicas em SP e Rio Grande do Norte e para comprar imóveis, fazendas e rebanhos bovinos, como informou esta coluna em 14 de fevereiro. Promotores apuraram que apenas um aliado de Valdeci Alves, considerado o principal operador financeiro do grupo, movimentou com familiares R$ 39,6 milhões”

Altamiro Borges, jornalista e escritor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui