“A volta da carestia”. Com esse título simples e esclarecedor, Miguel de Almeida publicou segunda (9) um artigo lúcido e feliz.

O grande achado do texto é relembrar o papel do Dieese, em 1973, ao denunciar a manipulação da inflação. Foi essa denúncia, confirmada depois pelo Banco Mundial, que fez a sociedade despertar para o problema da inflação.

O jornalista faz justiça a um personagem central nessa história: Walter Barelli, então diretor-técnico do Dieese, que, ao demonstrar a maquiagem da inflação, levantava a ponte do tapete sob o qual se escondia o arrocho salarial. Ele relembra: “Os índices que regulavam os dissídios roubavam o trabalhador”.

Na denúncia feita pelo Dieese e na reação comandada pelos Sindicatos, o jornalista identifica o começo do fim da ditadura.

Ao analisar o panorama atual, escreve Miguel de Almeida: “É a mesma carestia dos militares de antes, agora sob os generais de pijama, que em 2022 condena mais da metade da população à miséria”.

MAIS – Clique e leia a íntegra do “A volta da carestia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui