Pré-candidato à Presidência pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes participou de debate quinta-feira (21) no Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região (Força Sindical). No auditório João Goulart, ele fez o diagnóstico da crise, enfatizou a necessidade do País voltar a crescer e prometeu diálogo com o sindicalismo.

Para o ex-ministro da Fazenda, “sem crescimento, sem emprego, sem renda e sem escala, o Brasil não rompe o ciclo de crescimento zero que já dura 10 anos”. Seu livro “Projeto Nacional – O dever da esperança” explicita essas propostas.

O jornalista João Franzin, da Agência Sindical, perguntou a Ciro Gomes como enfrentar o desemprego e qual será sua relação, se eleito Presidente, com o movimento sindical.

O candidato trabalhista, que combate o padrão neoliberal na economia, propõe um sindicalismo “avançado, moderno e bem financiado”. Ou seja, com garantias de custeio. A reforma de Michel Temer inviabiliza financeiramente as entidades. Para Ciro Gomes, as reformas trabalhista e previdenciária “produziram a maior precarização da história”.

Na visão do pedetista, “o Sindicato deve ser interlocutor, pressionando as estruturas governamentais pelo avanço das proteções”. Também garantiu: “O sindicalismo vai ser elemento central desse diálogo”.

A solução pra que a economia se levante, argumenta o ex-ministro da Fazenda de Itamar Franco, é um modelo econômico que prestigie o trabalho e a produção. Ciro anuncia também que promoverá a desconcentração bancária.

Vídeo – Assista entrevista de Ciro ao jornalista João Franzin, assessor do Sindicato.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui