Condições indispensáveis – Por João Guilherme Vargas Netto

0
172

A mídia grande e as redes sociais têm dado cobertura a uma onda de greves que se espraiou pela Europa e por outros países, mobilizando os trabalhadores e revalorizando os Sindicatos.

Na sequência de um rigoroso inverno europeu, com a disparada do custo de vida e dificuldades acrescidas pela guerra na Ucrânia, os movimentos grevistas reivindicatórios dos trabalhadores em transportes, em serviços e do funcionalismo público foram maciços e vitoriosos em muitos países, em alguns deles superando uma letargia de vários anos.

Na França e em Israel, o movimento sindical foi coadjuvante de poderosas manifestações populares contribuindo com suas greves políticas para a magnitude dos movimentos, que em Israel obrigaram ao recuo o primeiro-ministro em seu ataque à Justiça e, na França, embora derrotados pelas manobras parlamentares do presidente da República, persistem em resistir contra o aumento da idade da aposentadoria.

Nem todo o mundo do trabalho ainda se mobilizou e se manifestou, seja na Europa ou em outros países, principalmente os trabalhadores da produção fabril.

Isso se deve à melhor posição relativa desses trabalhadores, garantidos por acordos coletivos vantajosos, com duração mais longa.

Juntamente com os esforços da OIT, as direções sindicais internacionais vêm trabalhando pra dar maior organicidade à luta dos trabalhadores, enfrentada a crise na Confederação Sindical Internacional que levou à destituição de seu secretário-geral por corrupção com propinas árabes.

As direções brasileiras procuram reforçar os laços no âmbito dos Brics sindicais, nos países de língua portuguesa e participantes da delegação do governo brasileiro à China estreitam relações com os congêneres chineses, convidando-os a visitar proximamente o Brasil.

O fortalecimento da ação sindical e o reforço da unidade são condições indispensáveis para que o movimento sindical internacional cumpra, ao lado dos trabalhadores, as tarefas de resistir à crise, reforçar a democracia e lutar pela paz.

João Guilherme Vargas Netto – Consultor sindical de entidades de Trabalhadores e membro do Diap.

Clique aqui e leia mais opiniões de Vargas Netto.